5 de setembro de 2008

Can you say that again?

So, it seems I just blondelize you, as in vandalize you, scandalize you or tantalize you? And I rip your "guts" apart, is that it? Hmm... I wonder, is that good or bad? And, could it be that the TRex is being joshualised? Or, quite the opposite, Joshua palavrossaurialises the Rex? Guess I could write another PhD on this one...

Is Blonde being wooed? Or is she being stoned as in that biblical in illo tempore?

5 comentários:

Ferreira-Pinto disse...

What's happening here?

Is this war?
Between a JoshRex and a PhDBlonde?
And if so, what will be the end of it?

Both writters are tough, but in the end I guess the winner will take it all.
If playing by the rules, I bet Blonde wins ... so, I put my money on her.

Meanwhile, I'll wait for the reply ...

Blondewithaphd disse...

No, no, no Ferreira, Blonde is not at war!!!!

Carol disse...

Passou-me aqui qualquer coisa ao lado STOP Aguardo esclarecimentos STOP Como gaja endinheirada que descobri ser, aposto uma fortuna na minha Blondie STOP Blondes must stick together Stop

Falaram em guerra, deu-me para isto. Sempre quis ser espia ou juntar-me a um movimento da Resistência...

Ferreira-Pinto disse...

Drat ... and I was always thinking we were to see rivers of blood ...

Miss, I want my money back if you don´t mind!

joshua disse...

Hei, Blond, why such a fuzz? Por que haveria eu de reeditar ou ter vontade de reeditar os modelos de reacção tão dilacerantes do passado where in fact I've spilled my guts because of nothing?!

Não me afastei de essa tonalidade devoradora e estéril?! Não mo felicitaste por isso mal te vim abraçar e beijar fraternamente?! Não é tão melhor evitar exacerbamentos de dentes e de garras que nada constróem a não ser sofrimento e isolamento, mas sem com isso abdicar de correr todos os riscos de se ser quem se é e como se pensa mesmo que fora do mainstream politicamente correcto?!

A questão de elaboração poética que me exigiu grafar que me blodelizavas era somente uma bem simples: as minhas tripas revolvem-se biblicamente com quem procede de modo inumano, indiferente, com tiques de casta, com trejeitos de exclusividade em relação aos demais, mas quanto a ti, mas minhas tripas revolvem-se com uma comoção pelo teu existir brilhante, pois não há praticamente frase que digas que não esteja recoberta da nata do génio e do auto-equilíbrio, mesmo que o não admitas é o que resulta para mim.

Outro problema que eu encontro comigo e por isso o flagro em outras penas é a capacidade de reedição de um pensamento não de todo isento de ambiguidade, mas a capacidade de ilusoriamente, se a isso levado, clarificar o que jazia ambíguo. Essa solicitude para clarificar, que existe em ti e em mim, é fantástica porque nos convence ter apagado por fim quaisquer impressões iniciais e por vezes, por melhor que reelaboremos o discurso e nos justifiquemos, não apaga.

Fora isso, blondelizing me é fabuloso do ponto de vista poético e fica mais uma criatura a juntar ao Implume e ao Emplumescente. Blondelizing Blond, my dearest.

Pelo que me toca, nunca tocarei com um dedo o machado das refregas para o terçar ou terçar outras armas quebradas contra ti. Blondelizares-me também é excitares-me intelectualmente, motivar-me, despertares imensa criatividade em mim, mesmo quando toda te excelsificas e te tornas inacessível a rasteiros mortais e portanto não cumpra os critérios mínimos de excelência para serem dignos de se abeirar das borlas da tua túnica.

E nem te peço que te moderes no teu lado Helena de Tróia. Os desastres desencadeados por teu rapto já foram desencadeados, não é propriamente em paz que se vive. Eu é que não luto com quem te disputa nem luto contra ti, já o disse. O meu único combate é homenagear-te, reagir ao que me faças sentir pelo lado dérmico da tua intelectualidade, como o regresso com grécias, borboletas e Sir David no alforge.

Let them not pockerize us or make of us chicken with blades at the small arena.

PALAVROSSAVRVS REX