6 de novembro de 2008

Hailing taxis


Por contigências várias, esta semana tenho estado dependente de táxis, o que, em termos sociológicos, dava uma teoria, ou uma tese, no mínimo. Desde futebol, à crise, passando pelos problemas familiares, a injustiça da habitação social, os eternos impostos, o governo, o trânsito, a filha que se licenciou em Farmácia, os netos, o Sporting e etc. só me apetece perguntar: mas os taxistas não se calam? Uma pessoa a precisar de sossego na cabeça e sem a mínima pachorra para conversas de circunstância e lá vêm eles com todos os discursos e mais alguns?


Neste momento já conto os segundos entre entrar no táxi, informar a direcção e recostar-me até se iniciar a converseta. Ó céus que não há paciência!

16 comentários:

DANTE disse...

E o mais engraçado é que ainda pagamos para os ouvir 'cantar'.
E anedotas? Já vais nessa parte? :D
Boa sorte loira kum kanudo

Jokas :)

Rafeiro Perfumado disse...

Aconteça o que acontecer, não discordes deles. Têm tendência para se virarem para trás por forma a argumentarem melhor...

Ferreira-Pinto disse...

Ops ... noto, pela enumeração quasi circunstanciada dos temas elencados e alvo desses intensos monólogos, que, quiçá, parte dessa má disposição deriva de só teres apanhado, até ao momento, taxistas sportinguistas :)

Mas um bom profissional da praça é aquele que, mirado o cliente, vai apalpando terreno e consoante as respostas se quedem por uns vagos "sins" ou "nãos" ou surjam como um delta amazónico, adoptam a sua postura ... se o cliente não reaje, eles recolhem; se dá mais que um sim ou um não, vão falando ...

Mas, "my sweet apple pie", nunca ouviste falar numa coisa chamada auriculares e mp3?
Ou, então, e em alternativa, manda um "ésse-me-ésse" que eu ligo e tu assim ... "ai desculpe, mas tenho de atender" :)

António de Almeida disse...

-Por vezes também me acontece ser obrigado a usar táxi, e calham-me os tipos mais incriveis, desde os que têm solução para todos os problemas da Humanidade aos que apenas raciocinam por módulos, há os especialistas em mulheres, sim porque basta um tipo entrar sózinho num taxi para ouvir toda a espécie de conselhos e filosofia barata, mesmo que não pergunte nada, depois os que só falam em futebol, e os criminalistas, capazer de colocar Moita Flores a um canto. Uma fauna bem diversificada...

Blondewithaphd disse...

Dante,
Ui, algo me diz que eu me ia arrepiar só de ouvir anedotas de taxistas. Livra!:)

Blondewithaphd disse...

Rafeiro,
Ai deuses, olha que eu gosto muito desta vidinha para ter um taxista a estampar-se com esta loura lá dentro!

Blondewithaphd disse...

Quinn,
É que nem quero saber das cores futebolísticas dos tipos! Mas apanhei um jogo qualquer do Sporting e tás a ver, isto é Lisboa... 2ª Circular e tal...
Mp3 e afins, pois... se eu já sou distraída por natureza, andar na rua com uma coisa dessas nas orelhas e é acidente na certa:)

Blondewithaphd disse...

António,
Aqui lhe deixo solidariedade:) Bolas, qu'isso de conversas da treta sobre tipas deve ser de morte!

indomável disse...

Oh minha louraça inteligente,

mas tu não aprendes?
E agora só te falta aqui o sauro do verbo para te dizer que és uma ingrata, porque os senhores querem fazer-te sentir um bocadinho mais à vontade e tu retribuis dessa forma...

E eu digo-to já para ires aquecendo. então tu, sua pedantolas, não tens vergonha de estar para aqui a denegrir essa bela classe profissional, a dos taxistas?

Ingrata e má lingua. Que mal faz os senhores aproveitarem uma bela cabeleira loira para descarregar a bílis? Vai-se a ver e tu até tens cara de psicanalista e tu sabes, com o salário de taxista, quando é que os senhores teriam possibilidade de se deitar no sofá e descarregar os males?

Não sejas assim pá! Mas que raio!

antonio - o implume disse...

O nosso PM é uma espécie de taxista optimista...

Mas deste-me uma ideia: como ficcionista, eis um filão a explorar!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E depois, são sempre conversas muito instrutivas!
Bem, apesar de tudo prefiro ouvi-los a ter que ouvir a telefonia em altos berros.
Lá no CR de vez em quando escrevo umas CENAS passadas em táxis...

MaF_Ram disse...

Tristeza!...

lusitano disse...

Para além dos taxistas havia antes também os barbeiros de homens, que também nunca se calavam.

Lembro-me de ir com o meu pai a Lisboa e por qaulquer razão ele ter decidido cortar o cabelo numa barberia que não era a habitual.

Colocado o "avental" por causa dos cabelos diz-lhe o barbeiro muito prazenteiro:
Então vamos falar de quê?
Responde o meu pai com um ar decidido:
Não vamos falar de nada, vamos cortar o cabelo!

Bem mas os taxistas falam, falam mas ainda nos vão conduzindo para onde queremos ir, ou seja, na direcção certa para nós, mas há para aí outros que falam, falam mas não nos sabem conduzir para lado nenhum, e acabam por ser eles a conduzirem-se para onde eles querem, mas que não é para onde nós queremos ir!

Abraço

Serenidade disse...

E ainda se paga... para os ouvir???

Serenos sorrisos

Carol disse...

Não sei se sabes, aqui o paizinho da je é taxista... E é dos serviços dele qiue tu andas a precisar. O homem passa-se porque a malta vai para o táxi contar-lhe a vida toda, quando ele só quer um bocadinho de silêncio! Quem te manda viver tão longe de Espinho?!

joshua disse...

Cheira-me a karma natural e proporcional às manias de si da queixosa. :)