19 de janeiro de 2009

Blonde e Futebol


Este post surge de uma, acho que, provocação a brincar da mdsol mas que, ironicamente, me deu para levar em espécie de desafio intelectual para o neurónio: o que é que uma Blonde sabe para falar de futebol? Francamente, não sei o que a tipa saiba do assunto àparte o ter a certeza de que o futebol só lhe traz desgostos em termos clubísticos. O Benfica é o que se sabe e o Borussia Mönchengladbach não lhe fica atrás (é uma espécie de Belenenses à alemã). Entre um e outro não sei qual o que a deixa mais (in)feliz. Também simpatiza com o Werder Bremen e com o Bayern München (mais com o primeiro do que com o segundo), isto porque se deixa encantar nostalgicamente pelos sítios onde já viveu. Neste momento, gostava que o Leixões recuperasse o primeiro lugar, mas sabe que isso é um pensamento utópico (curiosamente, também já viveu em Leça da Palmeira mas não se lembra bem desses tempos, daí, talvez, este presente simpatizar com o Leixões, vá-se lá saber).

A Blonde prefere o futebol desempenado do norte da Europa, o holandês e o alemão, sobretudo, ao futebol de brios do sul do continente. E não gosta de paragens por causa de faltas. Caramba, aquilo é um jogo de rapidez e as faltas, tirando as entradas mais violentas, são uma coisa normal. Daí que jogadores como um Cantona, um Moser (Mozer?), um Klinsmann ou um Vialli estejam entre os seus favoritos por jogarem muito fisicamente. Confesso que, no jogo do Europeu entre Portugal e a Alemanha - sempre difíceis esses jogos - a Blonde fugiu para o ginásio, mas para seu desespero teve de gramar com o jogo na mesma e assistir àquela entrada brutal do Schweinsteiger para golo. Aquilo doeu que se fartou no orgulho luso da Blonde, mas temos de admitir que foi um golaço dos que a Blonde gosta. O tipo não esteve para pedir licença e cá vai disto, é o suficiente para quebrar a moral de qualquer adversário. Mas enfim, estamos a falar de uma tipa com um espírito iconoclasta que vai ao ginásio todos os dias e só não pratica Krav Maga porque dá aulas numa universidade e, convenhamos, aparecer lá com as nódoas negras das sessões dava mau aspecto.


Para a Blonde o jogador mais irritante de todos os tempos é o Beckham (a voz então é insuportável) e o melhor nº 2 de sempre o Ronald Koeman (man, aquilo era pujança). O jogador português favorito é o Ricardo Carvalho. O mais giraço o Fernando Torres e antes dele o Matts Magnusson (sim, que a malta não é cega e já teve 16 anos!). Se lhe falassem do Marco Van Basten diria: "um senhor dos relvados". Quanto ao mais simpático, fácil: o Gary Linecker. E houve um dia, na Bulgária, que só não andou à bulha com o dono de um bar local à conta das coisas que ele dizia do Figo porque tem um grande espírito de contenção e um, ainda maior, auto-controlo germânico.


Não perdoa as decepções que a Selecção Nacional lhe dá e não gosta dos jogos arrastados do campeonato português que são uma pasmaceira. Por vezes pensa que lhe deveriam dar uma equipa para treinar que ela punha o balneário em sentido num instante! Tem pena que o Major Valentim já não esteja à frente do Boavista e mais pena tem que o Benfica não tenha lá um Pinto da Costa. Vai ter saudades de ver as conferências de imprensa de alguêm que fala em "muita dranquilidade" e que tem um penteado de desenho animado. Torce sempre pelas equipas portuguesas no estrangeiro, mesmo que elas sejam o FCP e mesmo que joguem contra equipas alemãs da sua preferência.


No aspecto controverso do futebol, enoja-lhe que o desporto seja um negócio pouco explícito. Não se importa com os milhões que se fazem (afinal, o entretenimento é suposto ser pago e vale o dinheiro que por ele se paga porque o que nos dá prazer não tem preço). Mas desgosta-a a economia paralela, a obscuridade, a falta de lisura. Também lamenta a politização do futebol. E lastima que os jogadores, tão principescamente pagos, não tenham o nível de educação suficiente para saber lidar com o dinheiro que ganham nem com ele comprarem o polimento que lhes falta em termos de background educacional/educativo (e não se importa que esta afirmação soe elitista).

Já quanto à prática, houve uns tempos em menina e moça que experimentou a baliza, mas aquilo era demasiado parado e sofria muitos golos porque ia lá para a frente jogar e deixava as redes expostas aos contra-ataques adversários. Hoje-em-dia joga umas futeboladas com o Spotty e tenta subverter os afilhados para apoiantes do Benfica... com algum sucesso, há uns um pouco renitentes (espertos), mas ainda há esperança.

A imagem ilustra o sofrimento por que tem de passar...






20 comentários:

Tina disse...

futebol?!!!
Depois de uma ternura como a de ontem, futebol?
Estava eu à espera de algo pedagógico-didáctico de, por exemplo, como lidar com pestes de palmo e meio ou de como passar um serão de sábado à noite (por exemplo vendo um bom filme sueco, sentada confortavelmente no sofá, com um porto na mão),...
mas futebol?????????

Ferreira-Pinto disse...

Ora, cá está ... ali a dita Tina, sem querer, aponta o caminho ... futebol luso?
Doa a quem doer, é o Fêcêpê e mais nada!
Este ano fraquito, mas enfim ... um portista nasce e morre portista e "mai' nada!".
Além fronteiras, sempre com os "blau grana" ... manias cá dum rapaz que sempre gostou de ser do contra!
E eles, este ano, "camandro" que aquilo é jogar, mas é mesmo jogar.

No elenco das escolhas, obviamente que aplaudo a do "Katalinsmann" especialmnnte recordando um célebre jogo Benfica/Bayern em que o moço ou foi chapa 3 ou 4!
Ai que gozo ...
Depois temos "Monsieur" Cantona, irascível e genial ao mesmo tempo.

Mas, e vê-se logo que a moça é Blonde, então e um Buffon? Ou até um Dassaev?
Ou um Franz Beckenbauer?
E um Johann Cryuff?

E cá pelas bandas de baixo, temos de admirar a matreirice italiana, o jeito "gingão" dum Brasil e a fibra duma argentina ... e não indo sequer buscar Pelé ou Maradona, nunca ouviu a Blonde falar dum Garrincha que, de pernas tão tortas lhe garantiam ser incapaz de fazer algo de préstimo no futebol e arrasava qualquer defesa? Assim, como se costuma dizer, desde fazer-lhes a desfeita de passar a bola pelo meio das pernas ou até deixá-los sentados?

Blondewithaphd disse...

Olha lá, tu vens para aqui arruinar-me a reputação a dizer que eu vejo filmes suecos?! Tu sofres de amnésia, ou quê? De quem foi aquela tristíssima ideia, hein?! Um bom filme sueco... sim senhora, a tipa passou-se e eu é que vejo filmes suecos! Sob protesto e contrafeita:)

DANTE disse...

Não percebo nada de futebol :{
Mas sou do SPORTING pois tá claro!! ;D

Jokas Loira kum kanudo :)

antonio - o implume disse...

Não escondo a minha tristeza pela profunda degradação moral e emocional que a autora deste blog está a atravessar!

Primeiro foram os ABBA, depois o Tony Carreira e o Toy... melhorou um pouco com o fado, mas depois descambou!

Só me falta vir aqui confessar-se fã dos romances da Fátima Lopes e incapaz de se deitar sem ouvir o CD do José Castelo Branco!

Blondewithaphd disse...

E tu Quinn também, ora chateiem mais aí! Força, gozem mais!!!! Eu não avisei que não sabia falar de futebol?! Tu esqueces-te com quem estás a falar? Blonde, helloooo?

Carol disse...

Poooorto! Poooorto! Pooooorto!

Blondewithaphd disse...

Ó pípal,
Sim vocês Dante e Implume, vocês querem acabar comigo?
Dante, não percebes de futebol, mas percebes que és do Sporting, right?
Implume, tu não me levantes falsos testemunhos, ouviste?! Que é isto? Eu nem sequer sei quem é o Toy!!!! E o senhor de baixo só mesmo tive o desprazer de o ver e ouvir no concerto do George Michael!!!!
Degradação moral?! Qu'é isto?

Blondewithaphd disse...

Olha Carol, para ti:
Benfica, Benfica!!!!!

Ferreira-Pinto disse...

Ui, que mal humorada que andamos! :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Devo dar-lhe os parabéns pela boa cultura futebolística. Se "A Bola" ou o "Record" a lerem , contratam-na para colunista. Sem ofensa...mas por lá basta que sejam benfiquistas para poder almejar a um lugarzito (rsrsrs)
PORTO, PORTO, PORTO!

mdsol disse...

Clap clap clap clap clap!
Bendita provocação. Assim mesmo! Quem sabe pensar e sentir, não desdenha esta manifestação da cultura corporal dos tempos actuais. E distingue as coisas. E não tem preconceito. Tal como previa... um texto que li com muito prazer. Ah! E nem vou dizer os aspectos em que me identifico (tal e qual)... ia parecer que estava a forçar a identificação!
parabéns!

:))))

mdsol disse...

Volto para dizer (mais) uma coisa óbvia:

O desporto é das coisas mais sérias das coisas não sérias e... já vi muito animal a jogar ( eu sei, eu sei que o jogo animal é distinto do jogo humano quer da criança quer do adulto...) mas nunca vi um animal a fazer desporto!

Oh blonde gosto mesmo de aqui vir!

:)))

antonio - o implume disse...

Degradação moral é votar no Sócrates... então e aqueles discos do Toy que me emprestaste?

Alexandre disse...

Bom... conhecimentos enciclopédicos relativamente aos meus. Eu só sei que não gosto de futebol (e dos que gostava, da Selecção vs. resto do mundo, já me deixei disso) :)

Fernando Vasconcelos disse...

Só tenho pena da escolha da "cor" porque de resto subscreve-se inclusivamente a simpatia pelo Werder Bremen que por acaso (ou não) até tem a cor certa, que verde é a esperança e a relva onde se joga, com muita tranquilidade claro está. Gosto do futebol pela incerteza, pela igualização de oportunidades - se virem bem é dos poucos jogos onde sem handicaps ou outras ferramentas artificiais, simplesmente pela sua capacidade e engenho os da terceira ou quarta divisão podem almejar a ganhar contra profissionais ... É um jogo de igualdade de oportunidades e isso dá-lhe todo o seu sabor. Nada me dá mais prazer que o Conquilhas de Baixo bater o poderoso Inter da Reboleira.

Carol disse...

Pooooorto! [Só para te chatear mais um bocadinho! ;) ]

António de Almeida disse...

-O Borussia Mönchengladbach teve grandes equipas na década de 70, início da década de 80, tal como o Köln, ambos rivalizavam com o Bayern München. Depois colapsaram ambos, surgindo então o Werder Bremen, Bayer Leverkussen, Schalke 04 entre outros. Os bávaros mantiveram-se sempre no topo. Também o futebol alemão cedeu espaço ao holandês, francês e inglês, a Itália sempre esteve na frente em termos europeus, a Espanha apenas a nível de clubes graças aos 2 colossos, mas tem vindo a crescer, com mais clubes de grande qualidade e a nível de selecção. Portugal pelo contrário terá tendência para desaparecer do mapa, pelo menos em termos clubísticos, por cá não existe o dinheiro de outras paragens, veja-se a loucura que vive o futebol inglês.

António de Almeida disse...

Esqueci-me de dizer, o futebol alemão sempre foi mais que força, quem não se lembra da qualidade técnico-táctica do Kaiser Frank Beckenbauer? da visão de jogo de Felix Magath? do tecnicismo veloz de Paul Breitner? a qualidade de passe de Bernd Schuster? o temperamento latino de Pierre Litbarski? a classe de Lothar Matthäus? os dribles de Karl Heinz Rumennige?

JOY disse...

Olá Blonde

Para quem diz não perceber nada de futebol, não te sais nada mal. Sou Leão desde pequenino, brevemente vamos jogar com o Bayern de Munique para a liga dos campeões e tenho fé que vamos estar nos Quartos de final.

O Sporting é o maior (ás vezes)

Fica bem
Joy