14 de fevereiro de 2009

Amar apesar?


Há um ano atrás eu chegava aqui e escrevia, com toda a autoridade de loura burra convencida de que é esperta, que o amor não é uma coisa fácil e que só é realmente amor quando se conta o "apesar". Olhando para trás, não me revejo minimamente nas coisas que escrevi. Aliás, entre aquela pessoa que ali estava a escrever e esta que hoje aqui escreve há todo um abismo. Aquela pessoa lutava contra muros, achando estupidamente que o amor não tem de ser fácil porque quando é pode ser destruído com a facilidade proporcional. E mais estupidamente achava que um compromisso se pode e tem de manter no "apesar" do sofrimento, "apesar" do distanciamento, "apesar" do vazio, "apesar" do silêncio.
Hoje acho que "amar apesar" é uma estupidez, uma perda de tempo, um desinvestimento em Vida... um pecado, por muito que isso choque com a Igreja dos Homens. Amar apesar de nos tornarmos estranhos numa relação? Amar apesar da incomunicabilidade? Amar apesar do infindo peso com que esse pseudo-amor nos esmaga? Não. Amar não tem de ter apesar nenhum. Amar tem de ser uma coisa redonda, sem arestas, apêndices, grumos.
Fiquei egoísta? Talvez. Só sinto, neste momento, nesta fase, que o "apesar" não vale a pena. O amor acontece e ponto final. O amor é fluído e ponto final. O amor é "clean" e ponto final. Eu não tenho de amar apesar dos apesares todos. Eu não tenho de violentar sentimentos e forçar o amor. Eu só tenho de me encaixar no amor. Melhor, eu só tenho de esperar que o amor se encaixe em mim.
Fiquei desencantada? Não, nunca. O amor não desencanta ninguém. O que fazemos dele e com ele é que nos pode desencantar. O sentimento em si não. Há lá coisa melhor do que amar? Não é verdade que sem amor somos umas criaturas tristes e incompletas, cinzentas, vazias, anímicas?
Pergunto-me, com curiosidade, o que é que eu virei escrever aqui de hoje a um ano...

17 comentários:

Alexandre disse...

eu pergunto-me mais o que é que eu virei a escrever daqui a dois dias...

antonio - o implume disse...

Interessante pergunta, aguardemos pois um ano.

O amor só existe quando apesar é só uma palavra que não se conjuga no mesmo verbo.

DANTE disse...

O amor é o que é. ponto!

Jokas Loira :)

Abobrinha disse...

Blonde

De cima da minha ignorância de morena que também não percebe nada de amor digo-te: depende dos "apesares". Se tem que haver cedências, porque nada nem ninguém encaixam perfeitamente, há cedências que não se podem fazer. Cedências como as que referes. Cedências que atentam contra a nossa dignidada, contra o que somos.

O amor vale a pena, mas realmente há que ver o que é amor e o que é outra coisa qualquer.

Daqui a um ano espero que não escrevas nada. Espero que só ames. De tal modo que não encontres palavras nem em português nem em mais língua nenhuma que exprimam o que sentes.

Independentemente disso... tens sempre cá os amigos!

Beijocas, linda!

António de Almeida disse...

-Sobre a matéria eu apenas me interrogo o que irei escrever daqui a um mês ou dois, no máximo...

indomável disse...

Blondie, minha querida amiga...

Talvez estejamos ambas na mesma onda... talvez, só talvez...

Amor com apesares é, como tu dizes, puro desperdício de vida... Escrevo e sinto... apesar de amar com todas as minhas forças, amo ainda mais quem eu sou e isso é afinal, um apesar!

Talvez daqui a um ano seja eu a escrever aqui que é melhor amar liberta, só... quem sabe...

mdsol disse...

Blondíssima:
um beijo
:)))

Ferreira-Pinto disse...

Apre ... e daí talvez não ... afinal, eu bem tenho vindo a insistir que a donzela está diferente ... para melhor e eu cá sei do que falo ... mas não, que não, olha que não e, de repente, zás ... um "enfesto" destes!

Quer dizer, cheguem-lhe um divã que isto vamos entrar em psicanálise profunda ... ai vamos, vamos!

By the way, if the f#$$$""" moron is not me, then we are ok.:) Gee!

Ältere Leute disse...

Será que consigo desta vez ? estou só a tentar "entrar", não li quase nada. Aquilo não é o Muro das Lamentações, poi não ?

Ältere Leute disse...

Olha, ficou ! Afinal, ainda estou capaz de evoluir...

Joaninha disse...

Minha querida,

Não podia estar mais de acordo com o que dizes, e provavelmente daqui a 1 ano estarei de acordo na mesma.

Beijos

Blondewithaphd disse...

Alexandre,
Ora aí está outra pergunta pertinente!

Implume,
Desculpando-me pela ignorância, "apesar" também é verbo?! Num percebi lá muito bem...

Dante,
Pois... o ponto diz tudo:)

Pumpkin,
Gostei mesmo foi da última frase... Thanks gal!

António,
Também me interrogo o que vou escrever para as conferências que tenho daqui a dois meses:)

Indie,
Agora é que estiveste bem! Muito bem, até! Amar-te, amarmo-nos SOBRETUDO! Sobretudo...

mdsol,
Outro!

Quinn,
E o que é "Enfesto", homem de Cristo? Arre, que lá me vens tu com o palavreado!!!! E o f...ing moron é para um anormal que me apareceu no twitter com cinto de ligas, ugh, que nojo! Num tou gostando do bicho twitter...

ältere Leute,
Es ist alles/nur biologisch!:) Seien Sie willkommen!!!

Jo,
Gosto tanto quando me subscrevem:) :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O amor não pode ter barreiras nem adversativas. O amor é... e está tudo dito.

Ferreira-Pinto disse...

Ó 'pera aí, apareceu-te um "gaijo" de cinto de ligas?
Ui que barrigada de riso ... e era assim gordito e careca?
God damn it, as coisas que eu ando a perder!

Ältere Leute disse...

Então ainda não se escreveu mais nada ? Agora já li com mais atenção,e vários dos textos.
Stimmt immer wieder ! Da steht ( im Stil ) was aus der alten Zeiten immer zu erkennen.

Ältere Leute disse...

Bedauere den Fehler... Wir beide sind Perfektionisten...

Chinook disse...

How do I love thee? Let me count the ways.
I love thee to the depth and breadth and height
My soul can reach, when feeling out of sight
For the ends of Being and ideal Grace.
I love thee to the level of everyday's
Most quiet need, by sun and candle-light.
I love thee freely, as men strive for Right;
I love thee purely, as they turn from Praise.
I love thee with a passion put to use
In my old griefs, and with my childhood's faith.
I love thee with a love I seemed to lose
With my lost saints, --- I love thee with the breath,
Smiles, tears, of all my life! --- and, if God choose,
I shall but love thee better after death.