4 de março de 2009

Vicky, Juan António, Oviedo, Barcelona


Porque as Vickies desta Terra podem muito bem ser Blondes, só que as Blondes não acabariam o filme presas na previsibilidade das suas decisões. Porque na Vida há sempre um Oviedo qualquer que nos faz desviar do percurso, inverter a marcha. É nesses Oviedos que, sem querer, nos encontramos connosco ao renegarmos os contrangimentos da racionalidade. E, claro, porque os Juan Antónios andam por aí vivendo o presente sem largar o passado, querendo um e outro, amachucados na inevitabilidade linear do Tempo.
De permeio, existem aquelas morenas fulgurantes para as quais qualquer Blonde olha no êxtase sublimado que pergunta: "Porque é que Deus lhes concedeu aquele exotismo do animal selvagem que nos falta tão gritantemente?" Sim, qualquer Cristina no seu juízo perfeito se deixaria levar pelo hipnotismo de uma Maria Elena.
Vicky, nunca serás feliz com o Mark. Em breve serás uma Judy e, se te faltar a coragem outra vez, desperdiçaste a Vida só para te manteres fiel à tua teimosia que persegue o Certo e o Correcto que te atam. Don't do that, don't go that way.

10 comentários:

Ferreira-Pinto disse...

Sabendo que efabulas a partir de um filme, mas como não me apetece deambular filosofando entre o ser feito realidade e o ser feito realidade apenas sonhada ou entrevista aqui fica, contudo, uma hipótese que, certamente, nunca ponderaste ... é que podes sempre pintar o cabelo, criando assim a ilusão real enquanto durar de um exotismo de animal selvagem!

Alexandre disse...

Tenho que ir ver o filme para poder comentar este post... :)

Blondewithaphd disse...

Quinn dearest,
Eu morena devia parecer a última vampira transilvânica acabadinha de sair da tumba!!!!!

Alex,
Tu num me percas este movie, man!!!!

Joaninha disse...

Blondi!

Ainda não vi o filme, irei ver.

Mas discordo aqui inteiramente com a tua afirmação das loiras não terem exotismo animal, não é verdade minha cara, nada verdade...

beijos

António de Almeida disse...

Pronto, quer obrigar-me a ir ver o filme...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Gostei ( MUIIIITOOOOO) do filme.
Mas, para mim qualquer filme em que entre a Penelope Cruz é bom.

Blondewithaphd disse...

Jo,
Mas vai depressa que já deve estar a sair de cartaz. Pois... essa das louras e morenas é um eterno debate. Eu continuo a achar as louras um bocadito deslavadas, mas enfim...

António,
Vá! É que está mesmo muito interessante! (Penélopes àparte, mesmo assim está muito bom!)

Carlos,
Eu também gostei muuuuuuito! Da Penélope e tudo e eu nem tenho por hábito olhar para as tipas:)

mdsol disse...

:)))

Zana disse...

...Que sorte, após 15 dias sem ter acesso à Net, (o q não me fez lá grande transtorno) vir ao blog e dar de caras com o Verão de Barcelona!
Eu cá já o vi, a semana passada. Andava a causar-me mais transtorno não ver este filme do que não ter Net. Suspeitava q me iria agradar e não me enganei!
...Bem as Vickies encontram-se em todas as esquinas, às Cristinas, acho q o q falta é tempo...amadurecimento... e podem vir a ser equilibradas, self-satisfied e ao mesmo tempo surpreendentes, as Marias Elenas devem ter sido demasiado mimadas na infância... e o Juan António...bem,... mais sincero, encantador e pragmático acho q não podia ser!
A questão é q no final tudo ficou exactamente como começou(desculpe quem ainda não viu o filme!)
O Verão passou e as vidas não avançaram e foi só mais um verão q passou por eles...
Parabéns Woody Allen por esta crítica social feita de encanto e glamour sob todos os prismas !


(Pelas tuas palavras, Blondie acho q devemos ter saído da sala com as mesmas sensações!)

Agora só penso em ir ver "0 Leitor"...

a MÁFIA portuguesa disse...

sim está bom. mas a colagem aos filmes de Almodovar...está bem, é uma experiência dele. o que é certo é que o soube fazer. é light e modernaço. elas fazem um papelão e o rafael bardém espantou-me...a penélope e ele já tinham estado juntos em carne trémula e bem...mas agora foi...uau