28 de julho de 2009

The long and winding road

Chego exausta. Tarde. Não me apetece jantar apesar dos camarões deliciosos no frigorífico. O Spotty vem pôr-me a bola azul aos pés. Quer que brinque com ele. A relva está molhada. O Senhor Luís deve cá ter vindo regar e sim, esteve cá, que vejo que anda a cimentar uma parede do muro de trás.
Dou graças pelo meu pequeno mundo de coisas comezinhas e quotidianas. Gente que olha por mim. Gente que descubro que existia na minha vida sem eu saber. Gente que entra sem eu esperar. E o meu pequeno mundo que gira sem parar. Dou graças. Baixinho, para não estragar o silêncio. Entendo que os privilégios são benesses banais que se tornam especiais e se avolumam nos cantos da nossa Vida. Infeliz quem não percebe. Infeliz quem passa pela Vida sem se aperceber que o grandioso se esconde por entre a banalidade do quotidiano da nossa "long and winding road".
Deixo a versão do George Michael, claro, óbvio. A Mãe gostava dos Beatles, eu vou pelo George Michael, mas a canção é a mesma e diz bem com o meu estado de espírito de alguém que, cansada ao fim do dia, acredita na Estrada da Vida...

Oiçam.

11 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pois eu acompanho a opinião da Mãe. Vou pelos Beatles. Tem mais força.
E eu a pensar que a Blonde estava de férias...

Pedro Lopes disse...

um pequeno mundo
(que gira sem parar)
é um mundo
nisso mundo
de um tamanho
tamanho
o tamanho
(d)a alma (d)o mundo

e uma alma que gira
(que gira, que gira)
é do tamanho do mundo
que giro
do mundo que gira
a alma, que gira


ps:
há mundos tamanhos
em mundos que giram
em mundos giros
que giram tamanhos

:-)

Joaninha disse...

Loirinha e o seu belo mundo...E que belo mundo que ele é, pois se é de uma bela Loira, e bela em todos os sentidos.

(muito gosto eu da voz deste homem, não o suporto, mas tem das vozes masculinas mais bonitas que já ouvi)

Daniel Santos disse...

"Dou graças. Baixinho, para não estragar o silêncio."

Compreende-se, não vá disparar o alarme.

Tirando a brincadeira,todos precisamos de momentos assim, só nossos.

Ferreira-Pinto disse...

Miss, no doubt ... THE BEATLES!
Quanto ao resto, no worries ... ainda tens muito tempo para descobrir inúmeras coisas boas da vida nas tais trivialidades e banalidades.

Blondewithaphd disse...

Carlos,
Quase, quase de férias:) A Mãe tinha muito bom gosto:)

Pedro,
Andei eu a queimar as pestanas a estudar poesia concreta p'ra isto? Not fair!:)

Jo,
Se soubesses o que eu gosto deste homem...............
Olha, é um mundo um bocado louro:)

Daneil,
Ai que lol!!!! A sério! Até me ia engasgando de riso! :D

Quinn,
Porque é que eu adivinhava que tu ias gostar dos Beatles, hein?

António de Almeida disse...

Não sendo fã dos Beatles, prefiro-os mil vezes a George Michael, sorry, mas inteiramente de acordo com o texto, devemos dar mais atenção às pequenas coisas para não as perdermos.

mdsol disse...

Blondinha quanto à importância destes pormaiores já aqui falei contigo. Quanto à versão: sou mais como a mãe e o CBO - Beatles!

:)))

Blondewithaphd disse...

António e mdsolinha,
Sabem lá Vossas Excelências o que é música:)

Pedro Lopes disse...

love shrimp
people who love shrimp must be really nice people :-)

PRD disse...

Estou com a mãe: Beatles. Mas só o facto de, por ler o teu texto, me apetecer ouvir a canção, faz toda a diferença. És realmente especial, oh god!