8 de julho de 2009

O meu luar mágico


Porque li e vi isto, lembrei-me do encantamento em que me deixam as noites de luar. É um horror (que não tem nada de horrível), mas o luar e eu, eu e o luar e eu não sei...
Não há luares feios. Mas há luares absolutamente mágicos que vivemos uma ou outra vez na vida e pelos quais damos graças eternamente.
Luxor, 2002
O Nilo corre sereno e silencioso ao fundo dos jardins do Hilton que se espraiam num doce declive que acaba na água. No ar, o som denso e ininterrupto das cigarras que despertam com a frescura do crepúsculo. Cheira a água-doce mortiça e a hibisco. Na outra margem, os contornos pedregosos do Vale dos Reis e a solidão muda do deserto. Janto à luz de uma vela pálida. Só o luar ilumina o jardim e eu vejo a lua reflectida nas águas milenares de um azul metálico profundo e plácido. Experimento um momento de eternidade.
Toco o fundo dos tempos e o agora. É mágico e eu estou ali. Se morrer, morro no enlevo e na plenitude que aquela noite, aquele luar e aquele rio convocam. Sou feliz ali, naquela cápsula de tempo e pó de luz.

12 comentários:

Abobrinha disse...

Pfffffffff... o que ela passa para dizer que está no Egipto!

E sim, é inveja, qual é o problema?

Bons e mágicos luares. De quem um dia destes também ficou meia totó a olhar por uma lua que entrou sem pedir licença pela minha sala dentro! E eu gostei!

Eu Mesma! disse...

Adoro noites de luar....
adoro imenso....

e ontem esteve lua cheia :)

Pedro Lopes disse...

pura poesia

Pedro Lopes disse...

fora um raio de luz à luz do luar
perguntava-te
:

antonio - o implume disse...

Blonde, não antecipemos os tempos de nostalgia... tu ainda me pareces uma miúda jovem, pronta para as curvas!

Daniel Santos disse...

bonito e sentido texto.

Blondewithaphd disse...

Abobrinha,
Estive, mulher! (ok, duas vezes:)) Já não estou!!! Mas voltava...

Tu mesma!,
E eu não sei que ontem esteve luar?! Eu amo luares, devo ter espírito de gato (egípcio já agora:))

Pedro,
Perguntavas-me o quê? Olha que eu em poesia sou uma nódoa vesga e trapalhona.

Implume,
Qual nostalgia, homem? Venham mais, e muitos luares em sítios tão fabulosos como Luxor ou... a minha casa.

Daniel,
Se tu o dizes:)

antonio - o implume disse...

Aquilo lá no Egipto é só mosquitos e moscas não é? E não se pode beber água... ouvi dizer.

Ferreira-Pinto disse...

Mas, afinal, em que ficamos?

Vais-te dedicar aos roteiros de viagem ou ao romance?

Joaninha disse...

Loira,

Olha ia escrever qualquer coisa interessantissima mas esqueci-me do que era, fiquei meia banza com a fotografia e com o teu texto.

beijos

António de Almeida disse...

Dos sítios onde nunca fui, mas gostava, é o Egipto. Quanto a noites, desde que o sol se põe, até às noites de luar, não conheço melhor que a savana africana.

mdsol disse...

Lindo e denso.
Tu vais "tief"
Um beijinho cheio de luar, Blondinha.

:)))