24 de agosto de 2009

Countdown 5 - Primeiras impressões


A água está à distância de um braço. Lembro-me de que é o Oceano largo, o largo Oceano. Ocorre-me, num mínimo lapso de segundo, o pensamento de um Airbus despenhado. Nunca tal me ocorreu. Aterramos sobre a praia e acho que só por milagre não arrancámos a cabeça aos poucos banhistas que devem ter levantado voo com a sucção aérea do avião.
Da janela parecia-me estar em Marrocos mas isto é um pedaço de África alocado a um país da União Europeia. Por instantes é-me difícil reconciliar estas ideas disjuntas. Será que o Saramago pensa nelas quando aqui aterra? Na terra a que chama casa?

Ankunft. Gepäck. Nicht eintreten! Ausgang. A primeira língua é o alemão, constato com o espanto espantado de isto ser Espanha e os espanhóis serem férreos na protecção e disseminação do seu idioma. O inglês vem em segundo e no pódio de bronze o espanhol. "Nicht möglich!", penso ajeitando-me mentalmente à envolvente e dando tempo ao cérebro para perceber que sim, esta deve ser uma ilha tomada de assalto por hordas de pensionistas fugidos à inclemência climática das invernias alemãs. Hey, afinal eu também fugiria. Não: eu fugi e nem precisei da pensão!

Eu vinha em busca de um vulcão onde tocar o céu e terminar em transcendência estas férias mágicas. Mas há vulcões por todo o lado. Basalto, leitos de lava fria exangue. A terra é dura de tortura. Rugosa. Seca. Inerte. O meu desejo do deserto que amo e que me faz saudades de regresso eterno é aplacado. Inspiro a plenos pulmões o ar saturado do interior da Terra e do que ela se esventra. É primordial. É um cheiro ressequido, se é que ressequido é cheiro. Mas é, porque é a isso que me cheira nesta terra negra do fogo ardido.

Estou numa ilha de fogo. Um fogo extinto presente por todo lado. Fogo vivo afinal. O quarto elemento, simbolicamente dicotómico: ao mesmo tempo destruidor e purificador. Queima a Fénix e permite-lhe a regeneração. E eu? Eu estou a meio de um rito iniciático: destruo passados purificando novas fases.

Sim, é um bom sítio. O fogo circunscrito pela água cristalina e profunda do oceano largo. A água baptismal regeneradora. Gosto de símbolos. Fazem sentido, ou melhor, são sentido. E eu? Eu preciso de sentido.


Glossário:
Ankunft - Chegada(s)
Gepäck - Bagagens
Nicht eintreten! - Não passar!
Ausgang - Saída
Nicht möglich! - Não é possível!

10 comentários:

Chinook disse...

Por vezes os espaços surpreendem-nos. Lembro-me da 1ª vez em Munique em que fiquei com a noção clara que estava numa não Alemanha - tudo tinha tradução em Inglês. Claro que depois ainda me surpreendi mais com os nativos a darem listas nos restaurantes aos alemães em Bávaro para que eles não conseguissem ler... Uma risota.

Sim os sítios surpreendem-nos.


Boa continuação pelos vulcões.

Pedro Lopes disse...

do nada que te conheço arriscava que o sentido é esse, o primordial, de dentro, sem confusão com fuga, na tomada de direcção, o sentido um só, o sentido sempre, o sentido em frente

e se alinhavasse isto no que a tua escrita de prosa sugere poesia? pois se já te chamei poetisa, olha, aqui vai

do nada que te conheço
arriscava um sentido
primordial de dentro
visceral

tomada a direcção
o sentido um só
o sentido sempre
sentido em frente


pois, nota-se que não resisti a reescrita;
mal meu inconstante?
sei lá, talvez mais procura de sons
e nisso talvez outros sons

já reparaste que às vezes sou palavroso...
falta calar-me

ps: ao reler noto o que não notei na escrita, o sentido duplo de sentido como a flecha na direcção, o sentir sentido... ao escrever não notei... esta escrita às vezes tem destas coisas, lá me desculparás o atrevimento de tentativa de poeta

ah, bom encontro com o calor do fogo do vulcão que contenha o céu e seja teu

Pedro

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não conheço Lanzarote, mas a descrição da aterragem fez-me lembrar a chegada a St Marteen ( ou s Martin, na parte francesa da ilha). Não percebo como é possível estra na praia, com aqueles gigantescos Airbus a passarem por cima das cabeças das pessoas.
Voltando a Lanzarote... Que continue a ter umas belíssimas férias.

Eu Mesma! disse...

adoro sinais...
adoro tentar analisá-los e chegar à conclusão de que.. não os consigo analisar...

:)

Turmalina disse...

Ah... que delícia...novas fases são sempre benvindas...
Bjo

Daniel Santos disse...

Excelente.

antonio - o implume disse...

Ia ser mauzinho, mas depois vi o glossário. Uma Blonde que se traduz... uma Blonde que se expõe, num português nu!

As férias fazem-nos mal.

António de Almeida disse...

Em Lanzarote estive apenas um dia, numa escala de cruzeiro. O que vi gostei, prometi a mim mesmo voltar, mas até hoje é promessa por cumprir...

Joaninha disse...

As Canárias são linda, se tiveres disposição visita o parque de laurisilva da ilha de la Gomera :) é patrimonio mundial.

beijão

mdsol disse...

:))