22 de setembro de 2009

Fame - remember my name

Deixem-me ser bimba hoje, please!
Fame... Porque:
- eu brincava ao "Fame" com a Mana. Tive umas leggings fúchsia (quando ninguém sabia o que eram leggings) e cortei os dedos de um par de luvas cor-de-rosa e fazia umas coreografias giríssimas que depois mostrávamos, à noite, ao Pai e à Mãe e fazíamos espectáculos para os miúdos da vizinhança. Um show pegado! Adereços e tudo!;
- a canção da Irene Cara ainda me dá abalos de medula;
- eu sabia de cor o blablabla da Debbie Allen: "You want fame? Well, it's right here where you start paying... in sweat!"
- esta nova banda sonora está uma coisa que só apetece dançar;
- é Nova York... (e aqui a Blonde suspira de saudades).
Já me estão a ver no cinema, não estão?
:)

12 comentários:

indomável disse...

Ahahahah, há uma coisa engraçada a ligar-nos, minha bi-neuronal friend.
Aqui a uni-neuronal indomável fazia coereografias com uma amiga mais velha, eu era A Debbie Allen e antes de lhe ensinar a coreografia que todos os dias à noite inventava (uma nova todos os dias, note-se), dizia-lhe a tal lenga-lenga do: "You want fame? Well Fame costs, and right here's where you start paying... in sweat!"

Também fazíamos espectáculos para apresentar à família, aos vizinhos, também era um show pegado... acho que naquele tempo, essa série foi o meu prjecto de vida... a Julliard, ir para os EUA estudar e trabalhar... sabes o que fez por mim? Eu digo-te, fez-me ver que trabalhar e suar era necessário, esforçar-me por ser mais, diferente, acho que talvez tenha ajudado a formar-me como pessoa inconformada e exigente que sou...

Também quero ir para New York... will you take me? Pretty please?

indomável disse...

Olha minha querida, depois de ver o trailer que aqui tens, fiquei cá com uma vontade de dedicar um artigo la no meu rato a este tema. Importas-te que copie o teu tema?

António de Almeida disse...

Curiosamente nunca vi o filme, ainda que fosse espectador assíduo da série nos Domingos à tarde. Uma boa recordação da adolescência...

Ferreira-Pinto disse...

Bom, se o António de Almeida confessa, eu também confesso ... sim, também via de vez em quando; cuidado, não era sempre!

Agora, uma moçoila pós-casadoira como tu estar em transe frenético à conta deste sucedâneo ... ó valha-nos a Santa!

antonio - o implume disse...

Ainda agora chegastes, já deste cabo da bougainvília (como tu escreves) e agora já estás de partida?

indomável disse...

hey, hey, hey, alto lá moço, que eu também mostrei aqui um frenético transe acerca da série, bem certo que em relação ao produto original, mas ainda assim...

acho que o trailer do sucedâneo despertou em mim recordações, sim, acho que foi isso... ainda assim, gostava que os meus filhos sentissem o entusiasmo que eu sentia com alguns episódios da série Fame. Não se tratava apenas da história de um punhado de jovens numa escola nos EUA, era mais sobre mim, sobre aquilo que eu estava disposta a fazer para atingir os meus próprios objectivos... mas acho que esta ilação cada um tira à sua maneira, não será?
O que eu queria para os meus filhos era que se entusiasmassem com as suas próprias capacidades, que projectassem para si próprios um futuro ambicioso, tal como eu na época...
Tempo, tenho de lhes dar tempo...

mdsol disse...

Fame

I'm gonna live forever
I'm gonna learn how to fly
High

Blondinha: I'll remember your name

:)))

Pedro Lopes disse...

o que está o Frasier a fazer no Fame?
há actores que ficam colados numa personagem :-) vi-lhe a cara e ouvi-o logo em diatribes/diálogos com o pai, o irmão Niles e a Daphne, para não esquecer o cão :-) ah, e ao microfone da rádio onde trabalha; adorei o Frasier, e também via o Fame :-) mas estas remakes com actores "cruzados"... como é que me vou libertar do Frasier, hum?!

Chinook disse...

Na série inicial havia alguns elementos excepcionais (a professora de dança era qualquer coisa de impressionante - acho que me apaixonei perdidamente por essa senhora), mas acima de tudo apercebi-me que ser artista (como qualquer outra profissão) implicava sempre sangue, suor e lágrimas.

O sucedâneo, a bem dizer, não vi, nem senti grande interesse em ir ver - é como as passagens para o grande ecrã de bandas desenhadas: o que é que podem trazer de novo? Enfim, maniqueíces de alguém já com alguns anos.

Kisses bela blonde (assumo que bela)

Daniel Santos disse...

Via a serie com entusiasmo.

Patti disse...

Ah e o Leroy, e o Bruno Martelli e a Doris e o Amatullo?

Saudades ...

Turmalina disse...

Confissão por confissão eu usava as leggings pretas com polainas de lã pink. E no cabelo fazia "permanente" para ver se dava volume ao cabelo liso e escorrido...rs... bons tempos... bem divertidos :o)