10 de fevereiro de 2010

Café e pão com manteiga

Acalmo. Os dias de bulício ficam para trás até nova vaga. Olho através da janela para o dia que se fez tarde melancólica de neblina e horizontes perto. Chuvisca silenciosamente. Fixo o olhar sem saber onde nos olhos que olham para dentro. O trabalho em espera acumula-se áspero e obrigatório em pilhas de papel desordenadas no tampo da secretária. Desço as escadas sem descer à terra na tarde pardacenta.
Lembro-me de uma canção mole, "Milk and Toast and Honey", tão mole como eu estou. Apetece-me.
Uso a máquina nova que me deu pelos anos a alma grande. Faço o café longo que a Mãe bebia com Sahne (as natas que eu nunca lhe ouvi dizer em Português) mas que eu bebo espartano, no rigor anti-calórico do séc. XXI, e a Mãe viveu (n)outro século. Sai bom, o café, no bom destas máquinas da moda. Há pão de milho em cima da mesa da cozinha que corto desajeitadamente numa fatia generosa e torta. Também há manteiga que sobrou do Natal: manteiga numa casa de sojas de onde o leite foi proscrito. Barro a fatia por entre o cheiro a café feito.
Continuo na moleza de olhar para dentro no dia cinzento em que me apetece café, pão com manteiga e este quebranto. Daqui a bocado trabalho. Agora não. Penso no momento, um momento em que não penso, um momento em que a mente canta baixinho "Milk and Toast and Honey" e eu me lembro de coisas sem perceber que me lembro de coisas...

11 comentários:

Chinook disse...

Também preciso de calma, mas a coisa não está fácil.

Daniel Santos disse...

muitíssimo bem!

mdsol disse...

Acabaste as avaliações do semestre... Foi isso? Aproveita bem a pequena pausa.
Beijinho

:))

Eu Mesma! disse...

adoro pão com manteiga...
e um cafezinho....

Pedro Lopes disse...

leio-te e deixo-me ir, aproveito a boleia que te agradeço, eu faço tanto isto, deixar-me ir como vou no que leio

lembro-me de coisas que me apetecem, de coisas apetecíveis, de coisas, nozes, a falta que sinto, pertos e perto, de que sinto faltas, espaços apertados a espaços, espasmos, como risos, os risos, sorrisos cantados

apetecem-me sorrisos de que me lembro
apetece-me lembrar
mais me apetece o que me lembro

Pedro

Vera disse...

Bonito :-)
e cheiroso
e saboroso

Ferreira-Pinto disse...

Ops, acho que me enganei no canto ... manteiga, pão de milho ... nã, isto não é o BLONDE! Ala que me vou ...

António de Almeida disse...

Passando à frente da música, Roxette não fazem parte das minhas preferências ;) , natas também não à excepção das que vêm no irish coffee, tenho dias que também não sei bem o que quero, deixo-me ir na onda. Hoje por exemplo...

antonio - o implume disse...

Restaurar a nostalgia do passado sentada confortavelmente na tecnologia dos dias de hoje... very Blonde!

Joaninha disse...

Já lançaste as notas!? Não faças aos teus alunos o que os meus professores me andam a fazer a mim, fiz a ultima fre. na segunda desta semana, foram 3 semanas, ainda só saiu 1 nota...:(
Adooooro Broa (pão de milho) com manteiga e chá quente!

beijos

Joaquim Lucas disse...

Ao ler-te também a mim me apeteceu. Café, pão com manteiga, saborear o tempo sem olhar as horas no relógio que o devora incessante.