27 de julho de 2010

27 Julho 2009, 21.30.


- Nice seeing you here. - I said.
- Likewise! Nice seeing you here. - You smiled.

Numa história improvável materializaste a probabilidade. Trouxeste-me "Água", "Terra", "Fogo" e "Ar" da Escócia onde me foste buscar. "I'm a man of my word", também me disseste. E eu acreditei sem te responder, fazendo-te galgar quilómetros e atravessar o mar sem saberes se eu ali estaria no meio de estranhos à espera de um estranho.
You kept your word. And I was there.

Não sei se a imagem no retrovisor se aproximou, esse reflexo que te fugia. Eu sei que vejo outros reflexos na infinitude de 3,1415, a vertigem de Pi em que transmutaste a minha vida, naquele dia três vezes depois.
O teu chá de bagas e a minha camomila e o castelo iluminado, Mouro e não Escocês, e Moçambique e a Alemanha, o piano e o saxofone. Casar-me-ias de diamantes, sim três vezes depois. Mas fala-me antes da Escócia. E eu gostei das pedras no gesso com ADN. Achei que o druida de olhos verdes era um bocado demais. Mas ele disse-te que vinhas. E a Ness mandou-me qualquer coisa por ti. Foste um bom correio e eu devolvi-to num sorriso, mas só num sorriso. Já viste aqui as ovelhas pasmacentas? Ainda não? A ver se te atolas nelas como eu e aí não precisas da Escócia. Não percebeste que eu te retribuí os quatro elementos, eu que só pensava neles, não importa. As amoras surpreenderam-te, não foi? Tu é que começaste, não venhas com coisas. E deste-me um abraço tão forte quando o vento brincava com os meus cabelos e eu te dei com a porta e quase te acertei. Mas vinhas sereno do mar que te enquadrava e eu achei que tinhas a pose de um Ramsés.
Já passou um ano? Não foi rápido nem lento. Foi o suficiente para o passado que eu queria lá no Alentejo por onde eu te levava em busca de tempestades e onde tu me aprendias e eu te seguia em busca de sombras chinesas nas paredes de luar. E onde as antas e os castanheiros falavam do Tempo que é Tempo e que não tínhamos. Já passou um ano? Finalmente passou um ano.
E sabes?
És tu.

8 comentários:

Salvador disse...

Muito bom o seu texto.
Sabe... tenho a Escócia, País de que muito gosto, na minha vida. Vivi, nalguns locais das Highlands e na Ilha de Skye, momentos em que senti a tranquilidade absoluta, a verdadeira Paz.

antonio - o implume disse...

O tempo que passa nos diálogos que ficam. Sinto-me a espreitar o que não devo, mas não resisto.

Eu Mesma! disse...

Adorei o texto :)

Pedro disse...

boa viagem

Joaninha disse...

Estou com o António...Sinto-me a espreitar..

Beijos

Daniel Santos disse...

em grande.

Turmalina disse...

Blonde , que texto avassalador.
Bjos

Goldfish disse...

Será mais interessante perceber só partes do texto ou lê-lo conhecendo todos os pormenores?