5 de setembro de 2010

Compotas e tinta fresca



Descubro que tenho prazer na domesticidade. Passo o resto das férias a fazer doces: de tomate, de maçã, também já fiz de abrunhos. E no entrementes dou cor nova à porta da varanda do meio do 1º andar. Gosto do entretenimento. Tintas modernas inodoras que se limpam com água, a porta que fica diferente, dói-me o pulso, farto-me rapidamente, penso que mesmo que pintasse uma porta ou uma janela por mês um ano não chegaria, mas guardo, com esperança de futuro, o pensamento de mudar a cor a portas e janelas. E surpreendo-me porque apesar do pulso e do "fartamento" gosto da pintura, do resultado e do que diz de mim e de como gosto desta casa. E depois há os meus doces biológicos que me saem bem. Deliciosos. E estes dias de sol em que me vejo entretida com estas pequenas coisas domésticas e me reinvento num papel que começo a descobrir ser meu depois de tão rechaçado por anos de esquecimentos e desinteresses, desinvestimentos e negligências, fugas, afinal, do meu não-casamento, em boa-hora acabado.
Gosto: afinal gosto desta coisa de estar em casa entretida com a casa com a panela do doce ao lume enquanto dou uma demão de tinta numa porta envelhecida.

8 comentários:

Goldfish disse...

Trouxe um doce de melão da minha mãe que faria um holandês revirar os olhos de tão bom que está. Experimenta, é uma óptima solução para melões pouco maduros!

Manuel Rocha disse...

Essa do "não-casamento" é que não havia necessidade...pq é que as relações, mesmo qd se chamam "casamento", não podem ser como as pinturas das portas ? Quando o pulso se farta, intervala-se, muda-se de porta, ou decide-se que temos mais jeito para os doces e não se pinta mais....mas falar em não casamento ? Bem ou mal a porta foi pintada. Para quê reescrever o cv ?
:)

Ältere Leute disse...

E um destes dias amadurecem os frutos que dão aquela geleia deliciosa... Mas não se esqueça do álcool no papel de cobrir - soberba invenção ( descoberta? ) que este "älterer Mensch" aprendeu consigo!

antonio - o implume disse...

A vingança é uma coisa terrível. Será que o "não ex" sabe que te tornaste finalmente numa recatada e promissora dona de casa?

Djinn disse...

Compreendo muito bem essa veia «doméstico-bricoleira» também me deu. Não a pintar portas foi mais com a utilização do berbequim nesta fase...as pinturas vêm a seguir ;)

zana dias disse...

Realmente, essa do "não-casamento" é q não havia necessidade!.. Enterra isso de vez aqui no blog! ...Sim, todas as outras coisas de q falas são deliciosas! Agree!!

Daniel Santos disse...

eu fico só a pensar nos doces.

Joaninha disse...

Por acaso esse docinhos já marchavam já!

beijinho Loira prendada :-)