26 de dezembro de 2010

Cansada. Cansada demais. Rodeada de muito, do muito que não quero que me falte. Rodeada de muitos, dos muitos que não quero me faltem. Porém...
Vou desmanchar a árvore. O Natal não começou bem. Não sei como acabou mas tendo em conta as circunstâncias acho que até acabou bem. No meio houve o Pai, o Pai que é uma força da natureza, e acho que foi ele que me fez o Natal este ano. No meio houve também o bebé Manel (são dele os pézinhos que agora me descansam no aparador).
Já pensei se não estarei a ressacar destes dois anos loucos de adrenalina a mover montanhas e a viver à pressa. Ou então estou a ressacar da morte do Nuno. Ou então é tudo junto. Quando olho à volta a pensar que tudo já faz sentido, que já cheguei lá, o horizonte fica mais longe e isso confunde-me. Olho outra vez e está tudo no chão. Encho-me de questões não verbalizadas e mal articuladas na mente. Questões que se eu materializar ganham vida e eu prefiro-as dormentes para fingir que são inconscientes. Fingir que não existem. Fingir que não me magoam...

6 comentários:

Pedro disse...

é da natureza
que o horizonte esteja
mais

longe
quando parece perto
quando parece longe
perto no longe
longe no longe
em olhando pela janela
em olhando pelo ar
reflexos e miragens
realidades transversas
um pouco mais de longe
a cada vez mais perto
um ir de chegar
um chegar
por si
tempo de ti

antonio - o implume disse...

Antes do dia de Reis? Não se desmancha a árvore de Natal antes da chegada dos Reis, não fica bem.

Daniel Santos disse...

Estou com o António.

António de Almeida disse...

Um dos meus filmes de sempre é "Gone with wind". A frase "tomorrow is another day", faz todo o sentido, muitas vezes a ela recorri...

Ältere Leute disse...

Esses pezinhos querem que a Tia Bá caminhe ao lado deles um destes dias...

Kássia Kiss disse...

Às vezes, compensa materializar essas questões que se querem dormentes. Arrasa-nos, sim! Mas nada como uma passagem pelo inferno, que nos deixa suficientemente fortes para renascermos das cinzas...

É só uma sugestão... (de quem aprendeu que "fingir que não existem, fingir que não me magoam" não leva a nada)...