2 de dezembro de 2010

Este país humilha-me

Não é que eu tenha por hábito revelar-me aqui na vida profissional. Mas como é, pelo menos, a segunda vez que o meu mail profissional assiste a uma cena destas cá vai.
Mail vindo dos USA a propósito de uma conferência que estou a organizar em Bruxelas:

Dear Dr. Blonde,
Blablabla, blablabla e agora o giro da coisa:
If you don't mind me asking, are things as scary in your country regarding debt as the news and financial markets indicate? We were talking yesterday in my class about Portugal and Spain in relation to what happened to Ireland earlier this month. I would love to share any insights you might provide with my students.
Best,
X

A reacção educada é, claro, ignorar, embora me tenha passado pela cabeça responder a dizer: I'm afraid I'm not a financial expert. A reacção que, porém, isto merece é fazer um forward ao nosso PM e pedir-lhe que responda sff. Estou a chegar perigosamente ao limite da vergonha. Sinto-me quase como se sentiam os sul-africanos nos anos 80 quando viajavam e punham um sticker com a bandeira do Canadá na mala ou na mochila pois não queriam ser associados ao país do Apartheid. E o que me irrita bestialmente é que, em nome de brios nacionais (que feliz ou infelizmente ainda sinto), eu não responda algo do género:

Sim, as coisas estão realmente medonhas porque há gerações que somos governados por mentecaptos, políticos decadentes com a mania das grandezas, gente com vistas curtas e inteligência diminuta, capazes, apenas, de políticas de corredor, de compadrios e simpatias mesquinhas, gente que ignora o supra-bem comum e que trata o Estado como um feudo pessoal-partidário. E vocês meus bimbos americanos, em vez de andarem na sobranceria que questiona a desgraça alheia, bem responsáveis foram por estes imbróglios. Experimentem, pois, levar com os dois anos de congelamentos de salários que o Obama vos prometeu e não me venham cá com mails paternalistas destes que não tenho pachorra.
Best,
Blonde

Eu tenho de levar com cada uma!!

3 comentários:

Utena disse...

Olá... passei pelo seu blog e não pude deixar de ficar para o ler.
Não há duvida tem toda a razão...
Que se pode fazer com a quantidade de anos que os nossos governantes lambem as botas aos americanos?
Parabens pelo texto

Ältere Leute disse...

Pois,pois, vê-se tudo no "Inside Job",que está por aí nas salas de cinema! Todos, académicos das grandes universidades, incluídos, a serem "well rewarded for". E, OS ESCOLHIDOS ( de entre os "actores" desse tempo ) para rodearem o "presidente de todas as esperanças" vão fazer o quê?!

antonio - o implume disse...

Olha, imagina que os americanos liam os nossos jornais ou escutavam os conselhos dos nossos ex-ministros das finanças? Estariam seguramente convencidos que o país desapareceria antes da tua conferência...