5 de junho de 2011

Em dia de votos

Aqui no meu campo cheira a braseiros com sardinhas, a sol e a calor. No meu jardim a relva ainda cheira a corte. Não sei se apetece a alguém votar. Lá vou; com um velho cartão de cartolina puída e um cartão de cidadão século XXI que deixa as tecnologias entregues à cartolina amarelada. E a sensação de que qualquer cruz é indiferente. Não há carismas. Não há Estado. Nem tão pouco há males menores. Há esta coisa amorfa num país cansado.
Enfim, vamos lá votar...

3 comentários:

antonio - o implume disse...

Só nos resta assustá-los com um voto louco e de revolta, para que sintam que um dia o país poderá deixar de ser deles.

mdsol disse...

Também já votei, Blondinha.

Beijo

:)))

zana dias disse...

... e a seguir comer sardinha assada!