2 de junho de 2011

Um dia daqueles

É feriado no meu campo. Mas a cidade trabalha. Trabalho. Como uma bola de berlim ao lanche (aos anos...). A contabilista diz-me quanto tenho de pagar ao fisco. O jardineiro teve ajudante porque não se aguentava com o serviço (é novo e ainda não conhece os cantos, arrancou como erva uma flor que eu plantei e eu nunca planto nada), acho que me foi ao bolso mas o trabalho ficou aprimorado. Dia longo. Tão longo. Chego no lusco-fusco a um jardim que me espera com cheiro de relva cortada. O Spotty que quer brincadeira. A Casa. A vida da Vida. Estou cansada.

6 comentários:

antonio - o implume disse...

Tu és flor de cidade...

Leonor disse...

Aqui também foi feriado :)

António de Almeida disse...

Morar no campo tem vantagens e desvantagens. Feriado foi em todo o Ribatejo.

Ältere Leute disse...

E as férias quando é que chegam?
Já percebo pouco dessas coisas...

analima disse...

É bom chegar a casa cansada e conseguir, ainda assim, notar tantas coisas que a muitos passariam despercebidas.

George Sand disse...

Também cheguei agora da Serra. Com vista para o mar. E a vontade de desinvestir nos betões, para me mudar para um lugar assim.