16 de dezembro de 2011

Parece que vão avançar com uma (nova) reforma do ensino

E pelos vistos desta vez a primazia é para os conteúdos e não para as competências. Eu não acho muita piada a tanta reforma no ensino para nunca se fazer nada de jeito e o dito andar cada vez pior, mas pode ser que desta vez tenham algum juízo e cheguem à conclusão de que a escola é precisa não como entretenimento infanto-juvenil mas como lugar onde se aprendem coisas tão exóticas como ler, escrever e contar. Fico a aguardar desenvolvimentos.

6 comentários:

antonio ganhão disse...

Aprender? Esse é um conceito desatualizado.

Ältere Leute disse...

( Mas que dificuldade: agora nunca consigo entrar aqui à primeira...)

Também tenho esperança de que se encontre alguma racionalidade... Já passamos por tanta pedagogia- de-não-bom-senso...
Tenho duas cachopas por aí. E nem imagina o que é ajudar em Português do 10º Ano (CIÊNCIAS) ! É preciso um doutoramento em Linguística (teórica). Será que ficam a ler, perceber e escrever melhor?
E a que está no 8º vai, no 10º, ter que "desaprender" as terminologias que agora mete na cabeça. Ah aqueles Gabinetes de Programas (conheci-os bem...)! Haverá Crato que lhes (nos) valha?!

António de Almeida disse...

As reformas do ensino têm representado terreno fértil para o desenvolvimento do eduques e proliferação de burocratas...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Cada reforma, cada minhoca.

mfc disse...

Fazem-se reformas para não se fazer nada, pois até que os "estudos" das reformas estejam prontos eles perderam a cadeira do poder e chegam os que estiveram lá antes deles e vão fazer mais uns "estudozinhos"!!

andorinha voa-voa ... disse...

Quando começarem a simplificar eu começo também a ser menos cética em relação ao ensino em Portugal...