3 de setembro de 2012

Missa em St. Paul's

Ir à missa de Domingo a St. Paul's não só é um privilégio como um acto de instrução. No missal lê-se que quem quiser comungar e for alérgico ao glútem, pode pedir hóstias sem o dito.
Fiquei pasma! Por um lado, estes anglicanos pensam em tudo e na comodidade dos fiéis. Ou seja, tentam que não seja algo como uma alergia alimentar que os vai demover da missa ou da comunhão. Por outro lado, pensei que hóstias sem glútem são de um preciosismo exagerado. Seja como for, sinal dos tempos, sinal de conformidade à sociedade moderna. A oficiante era uma pastora, outro sinal de uma Igreja que se quer muito mais século XXI do que a nossa Católica Romana. Enfim, missa é missa, anglicana ou católica (no caso, muito pouco no rito é diferente entre as duas confissões), mas há algo de moderno e novo (a homília sobre o caso de um jogador de futebol conhecido) que varre o anglicanismo e nos deixa a pensar no compasso de espera em que vive o Vaticano. 

8 comentários:

D.S. disse...

Ir assistir a uma missa anglicana foi uma coisa que me faltou fazer quando vivi em Londres. :) curioso saber que não é muito diferente da católica...

Cristina Torrão disse...

Estou habituada a pastoras, até a "bispas", na Igreja Luterana. E também a homilias diferentes, em que a pastora fala das suas experiências de mãe e esposa, por exemplo.
A Igreja Católica, na Alemanha, também é um pouco mais moderna do que a que conhecemos em Portugal. Talvez por conviver lado a lado com os luteranos e não lhe apetecer perder muitos fiéis.
Besuch doch einen deutschen Gottesdienst! ;)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Quando vivia em Londres também fui lá. Mais por atração, do que por devoção, devo confessar, mas nunca me esqueci da grandiosidade da cerimónia, ainda que em moldes bem diferentes dos actuais.

Dias as Cores disse...

Fazes coisas diferentes... ;)

Francisco Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco Nobre disse...

Uma experiência semelhante foi assistir a uma missa no rito Cristão Copta no Canadá.

Na realidade a maioria das Igrejas Cristãs têm ritos muito semelhantes (na realidade as diferenças são mesmo mínimas se olharmos ao contexto e não à forma, onde por vezes a ordem da liturgia e a importância de algumas partes como o ofertório podem trazer algumas surpresas).

Em termos de grandiosidade da missa a grande diferença tem a ver mais com a dimensão da igreja do que com a cerimónia em si. Assistir a uma missa católica em S. Pedro em Roma ou em Santa Maria Cosmedin (em Roma) ou na Sé Patriarcal de Lisboa ou na Capela de S. Roque em Lisboa (não confundir com a Igreja de S. Roque tb em Lisboa) têm níveis de grandiosidade diferentes.

mfc disse...

É importante este "aggiornamento" a que a nossa Igreja é tão avessa!

Beijinhos,