3 de dezembro de 2012

A eterna dicotomia da loura inteligente

Parece que, afinal, a Marilyn Monroe lia Joyce, escrevia poemas (com erros ortográficos mas quem é que é perfeito?) e tinha uma biblioteca com mais de 400 livros. Também já li algures que tinha um QI acima da média. Parece, portanto, que nada impede que uma bombshell platinada não possa ter uns laivos de intelectualidade. O que acho sempre esquisito é que nunca ninguém precise de justificar a intelectualidade nas morenas. Mas, enfim, a Monroe também não seria lá grande candidata ao Nobel.
Aqui.

4 comentários:

CNS disse...

Até porque a Norma Jean era arruivada/cabelo castanho ;)

Ältere Leute disse...

Não me diga que a Blonde estava a pensar em pintar o cabelo de escuro ! "Asa de corvo", já agora...

Francisco Nobre disse...

Se houve uma coisa que aprendi ao longo da vida é que não é o hábito que faz o monge...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O comentador precedente tirou-me as palavras do teclado, por isso apenas acrescento que as aparências iludem.