11 de dezembro de 2012

"É as claques."

Acho o cúmulo do desplante, que, por consequência, me deixa no cúmulo da irritação, que fechem a 2ª Circular para deixarem passar claques sei lá de quem, para o jogo sabe Deus de quem. Mas eu tenho de ouvir uma senhora polícia mandar-me parar e dizer: "É as claques"? E eu cidadã naturalizada deste país tenho de obedecer a uma estupidez destas?
E foi assim que, entrando eu na dita artéria lisboeta, me vejo de súbito reduzida à espera que os meninos das claques, que não têm nada melhor para fazer a uma Segunda ao cair da noite, e empatam os outros que têm, entrem lá para o estádio do raio que os parta. É que os vinte minutos à seca custaram-me a aula de Fitball pela qual eu tinha suspirado todo o santo dia em que trabalhei que nem louca para ver se o país produz alguma coisa. Coisa, diga-se, que os meninos das claques certamente desconhecem.
Estou a chispar faúlhas de tão danada!

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O futebol para tudo neste país. Um retrato perfeito do povo que somos.