30 de março de 2013

Estou contente

Ontem à noite liguei para casa da minha irmã e atendeu-me o meu sobrinho: dois anos de gente que atende o telefone, fala com a Tia e desliga-lhe quando acha que já conversou o suficiente. Liguei segunda vez. Atendeu. E, de novo, falou o que teve para falar e desligou-me o telefone bem na cara. À terceira que liguei não se dignou a atender. Já tinha conversado tudo.
Hoje enfiei-me na cozinha às dez da manhã e só estou a sair agora (enquanto o forno faz o resto). No entrementes, plantei seis tulipas e lavei os tarecos do Spotty. Cozinho para amanhã. É doméstico. É. É a vidinha. É. Mas enquanto tiver esta, não escolho outra. Não escolhi esta nem deixei de escolher: aconteceu-me.
Amanhã de manhã embalo tudo e sigo para Lisboa. Deve ser a primeira vez que a Páscoa não é comemorada cá em Casa. É por uma boa causa. A Mana está extraordinariamente grávida e a Tia-Mana é para estas coisas. Vai ser tão bom e se é doméstico e comezinho, seja. É isto a súmula da minha vida: a Casa, o Spotty e, sobretudo, a família que restou do colapso, a família a quem a Primavera vai entrando através das escolhas e da passagem do Tempo, ressuscitando aos poucos numa outra Vida, fénix de uma outra que já passou.

Boa Páscoa!

3 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Obrigado.
Hoje passo só para lhe desejar também uma PÁSCOA FELIZ

luisa disse...

Também me contento com a minha vida doméstica e familiar :)
Boa Páscoa!

Francisco Nobre disse...

Seguem os meus votos: 神圣的复活节