18 de maio de 2013

E, por fim, da Finlândia

As autoestradas não se pagam.
Nem a educação, nem a saúde.
E os combustíveis estão ao mesmíssimo preço que em Portugal.
E, claro, a nossa classe política analfabeta sabe sempre comparar um país de cinco milhões de habitantes com um de dez.
I rest my case.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estive lá e gostei.
Mas não era no tempo do Sócrates que comparavam Portugal com a Finlândia?
este governo é mais pró-albanês.