14 de fevereiro de 2014

Aqui ao longe

Aqui ao longe vejo o país à distância. Como estou sozinha e a escolha televisiva é pouca para amortecer a noite nesta lonjura, engulo o fraco zapping com o comando embrulhado num lenço de papel. Até nas notícias somos fracos. Os estrangeiros que estejam a ver o noticiário português que eu estou a ver devem-se perguntar o que é que a troika cá veio fazer e se era, realmente, necessária. Andamos a comprar mais, a economia está a crescer, os bancos estão a dar mais crédito: wunderbar!, que fica bem dizer estas maravilhas em alemão. Bem, acho que sou eu que estou meio enviesada. Afinal, só há um canal e eu estou cansada.  
Parece que é Dia dos Namorados. Não ligo. Não precisamos disso, pois não? Eu não gosto da lamechice com dia, como não gosto da lamechice, Punkt!, que também fica bem sermos alemães quando dizemos que não gostamos da lamechice.
Acho que vou ler uma revista enquanto aí, no mundo que deixei em suspenso, o resto do mundo celebra o S. Valentim e escolhe canais que, calhando, dizem o mesmo que este aqui: saímos da crise. Sempre estou para ver...

3 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Bem podemos esperar sentados até que a crise se vá embora.

Dalma disse...

Nós costumamos usar, em vez do lenço de papel,o saco celofane ou plástico que vem a envolver os copos. Precaução absolutamente indispensável!

Ältere Leute disse...

Guten Aufenthalt !