5 de outubro de 2015

Dióspiros 2015

Eu devia ter uns seis anos e era por esta altura. A Mãe deu-me uma taça com dióspiros e um colher de sobremesa. Aprendi a palavra sem a ter aprendido na outra língua, ou seja, foi das primeiras coisas verdadeira e 100% portuguesas que aprendi, uma coisa aprendida fora da tradução. Desde aí que dióspiros me lembram os primeiros dias de escola e bata branca rodada. Dióspiros significam primeiras chuvas e cheiro de terra molhada depois da secura do pó estival. Dióspiros são, paradoxalmente, o meu começo de ano. Depois sei que vêm as castanhas, as nozes, as folhas carmim e o tempo molhado com restos do calor que já se foi, o São Martinho e aquela altura do dia que nos surpreende por já não ser dia depois de meses a ser luz.
São o meu fruto favorito. Como-os às taçadas e não me lembro que alguma vez os tenha comprado. Ontem recebi-os de duas proveniências diversas. Estão a estalar com as primeiras águas e doces como mais do que o mel. Não vão sobrar porque a taça e a colher os esperam...

1 comentário:

Ariadne disse...

Olá!
Estou a promover um passatempo no meu blogue sobre stress e como o combater; podes ganhar uma embalagem de um suplemento de magnésio da Pharma Nord.

Basta entrar no seguinte link: http://historiasdeariadne.blogspot.pt/2015/10/o-magnesio-e-o-stress.html

Participa e ajuda-me a divulgar este passatempo que pode ajudar muitas pessoas que tentam combater o stress diário.
Obrigada.
Beijinhos