28 de fevereiro de 2018

Bremen: Roland

Um dos monumentos UNESCO de Bremen é esta estátua de Roland e, como em quase tudo nesta cidade, significa o culto da liberdade. Segundo a lenda, enquanto a estátua de Roland estiver de pé (e está desde 1404), Bremen será livre.
Roland não tem exactamente relação directa com Bremen mas foi adoptado como seu símbolo por representar os valores da coragem e dessa tal tão estimada liberdade.
Para quem siga a série "Vikings" no Canal História, Roland é Rollo, o irmão do Viking lendário Ragnar Lothbrook. Sim, Roland era Viking, embora haja muitas teorias a seu respeito. Terá casado com uma princesa bretã e abraçado a religião cristã tornando-se num dos paladinos do imperador Carlos Magno, cuja residência preferida era em Aachen, hoje em território alemão.
Tal como nos bons mitos de cavalaria, Roland tem uma espada invencível chamada Durendal, que na estátua de Bremen se mostra desembainhada. E, já agora, para quem tem um fraquinho por literatura clássica, este Roland é o mesmo que inspirou a "Chanson de Roland" medieval e os poemas renascentistas "Orlando Furioso" e "Orlando Innamorato".
Claro que tudo isto é muito giro, muito interessante, muito ao bom estilo das lendas arturianas que povoam o imaginário europeu medievo. Mas, seja como for, é impossível não nos determos em pensamentos sobre quem terá sido o homem por detrás desta lenda. Assim, quando vierem a Bremen (e venham!) já sabem quem é o guerreiro gigante que vos espera na Rathausplatz, a Praça da Câmara

1 comentário:

Dalma disse...

Claro que me lembra da “chanson de Roland” e das referências ao “Orlando o Furioso” e de Aachen/ Aix la Chapelle.
Há muitos anos, uns 35, levei os meus filhos, que eram ainda pequenos, a Aachen ver o trono de Carlos Magno. Para eles foi uma decepção já que não era um trono de rei, como eles imaginavam!!