30 de dezembro de 2007

De Relance...


Ando a pensar neste texto há uns tempos, sem saber se chegaria alguma vez a ver a luz do blogue. Nem é pela imagem em si (aqui bem desfocada que é para não se sobrepor à palavra!), é mesmo pela língua que me atrofia a escrita e o pensamento e me faz passar de "I"/EU a ELA. E assim tenho de me ver de longe e em exterior e confrontar-me com aquela pessoa que ali está. É horrível, mas é verdade (and I confess I'm a bit scared of SHE!).

Não nasci nesta língua. Aos 9 estava a aprender Inglês, a minha segunda língua estrangeira, mas já era a quarta língua que eu falava: duas línguas maternas e mais uma língua estrangeira começada aos 7. Um pouco confuso, admito, mas para mim era a coisa mais natural da vida. E assim, no meio desta Torre de Babel privada, umas línguas vieram sobrepor-se a outras. O Inglês tornou-se a língua do pensamento, da escrita privada, das ideias, sonhos, leituras, músicas, diários adolescentes, cartas e, inclusivamente, de trabalho e, claro, das viagens. É a língua dominante. O Português ficou a língua social (ainda me lembro de a Mãe dizer ao Pai que tinham de esconder os meus livros na outra língua senão eu nunca ia falar Português, o que era uma chatice porque eu ia ao parque infantil e falava estrangeiro com os outros meninos e meninas. Surpreendentemente todos me entendiam e, mais surpreendentemente ainda, todos me obedeciam, se calhar porque a outra língua é áspera e imperativa, quem sabe?).

Adiante. 2007 foi um ano a todos os níveis memorável (e como eu não sou lá muito original, que diabo, também posso entrar em balanços).
Comecei esta história do blogue como um espaço pessoal, uma coisa só minha, onde eu podia vir à vontade, escrever o que me dessa na ideia, guardar as coisas ditas e voltar à vida da Outra (the one that dominates ME!). Era assim mais uma espécie de diário adulto numa época em que já não se escrevem diários em folhas lindas e fechadas à chave. E, naturalmente, nem me ocorreu escrever noutra língua que não o Inglês. Era EU que aqui vinha, eram os MEUS pensamentos. Certo que eu sabia que podia dar-se o caso de alguém passar por aqui e ler, mas numa blogosfera infinita, quem é que viria aqui? E depois, mesmo que alguém viesse o que é que tinha? Isto é tudo tão anónimo, tão difuso e tão distante que não tinha importância nenhuma que lessem as maluquices ou os desabafos que eu para aqui mandasse. E a verdade é que "I couldn't care less" (custa-me pronunciar o equivalente em Português).

Mas... (porém, contudo, todavia, não obstante)...

Vocês chegaram! E eis-me aqui a sentir necessidade de fazer balanços e apresentar justificações e a querer dizer que, por causa disso, dessa presença, isto ganhou vida e a Blondewithaphd tornou-se em mais uma figura de alteridade (esta coisa estranhíssima que me persegue desde o berço e produz uma quantidade infinita de estudos científicos fenomenais, um dos quais o meu próprio, enfim, ironias do destino e cada um sabe da sua vida). E cada um de vós veio na sua "uniqueness" (e por isto é que o Português me atrofia. "Uniqueness" não existe em Português. Há a ideia, mas não a palavra).

Primeiro apareceu o Quinn: imenso, seguro, guru, mentor (ainda não sei como apareceste mas fico feliz por teres acontecido). Foi ele que me fez "realizar" (cá vai o anglicismo) que eu tinha um blogue. E depois há aquela clarividência, e aquela confiança, e a escrita arrojada que fazem dele "O" Quinn que eu admiro. Depois vieram os Antónios: sérios, exigentes. O António de Almeida com aquela capacidade analítica que me transcende e impressiona e o António ("un peu l'agent provocateur") naquela sua densidade literária e metafórica. Veio o Joshua na voragem linguística e no desrolhamento escatológico (hiding what I believe is a very sweet person). Veio o Tiago e a simplicidade das palavras certas e a visão lúcida. Veio o Peter, que disse vir à lição de Inglês de cada vez que por cá aparece, e me fez ver que eu é que escrevo numa língua estrangeira, e, assim, a lição foi e é minha. O mesmo com o C Valente, que faz coisas com o Português que me deixam a pensar nas minhas limitações. O Joy foi uma descoberta recente, "a real joy", e tem o único blogue cuja música de fundo eu oiço com ouvidos de gostar. No entretanto apareceu um Jedi que me chamou Anita (a mesma dos livros infantis!, só que essa é morena!) num outro lado e que, confesso, foi outra das minhas (tantas) surpresas na blogosfera.
Deixei-as para o fim para terminar com chave de ouro (nunca percebi bem o valor desta expressão ou de onde é que vem, mas, como é para exprimir uma coisa final muito boa, uso-a). A Blue foi a primeira: serena, lúcida. Tem a escrita da calma, da naturalidade, da constância (I admire her in silence. It was serendipity). Depois a Indy, um rio torrencial, opiniões verbalizadas na fortaleza da escrita que vai reinventando (a finding in the midst of so many blogs). E, "last but in any way least", a Carol que eu invejo no seu lirismo e naquela maneira de acordar as palavras. As minhas são tão pacatas e nas mãos dela transfiguram-se e ficam ali perenemente a falar connosco (man, I call that a gift!).
Devo estar a esquecer-me de alguém, mas não olvido os desconhecidos que por aqui passam e que me fazem sentir humilde porque há quem se dê ao trabalho e/ou à curiosidade de vir aqui e ver o que é que a Blonde (esta foi outra, nunca pensei que me inventassem um nick! E não é que eu gostei?) anda a escrevinhar.

You make me happen. You are all unique. Special. Thank you!



A todos vós um 2008 inolvidável pela positiva, pelos sucessos, pelas metas alcançadas e sonhos realizados. Be bold, be brave, be happy!

24 comentários:

quintarantino disse...

Ó cum camandro... vem aqui um indivíduo espreitar o TAL BLOGUE e leva com uma mangueirada destas... eu estou, como diria, "speechless", sem palavras... é o que é... nem é lá pelos elogios todos, também não era preciso exagerar, ó menina, o "O"... apre... até parece... se eu sou o "O", tu bem sabes o que és... um portento, uma força da natureza... e pela fotografia, agora roam-se de inveja ó seus arrastadores de asa, eu náo vos dizia que aqui a moçoila até é engraçada? ... mas, com camandro ... eu estou siderado! banzo! estupefacto... ò Blonde, e agora? a coisa vai em português ou em inglês? mudo... estou siderado! ... assim, sem anestesia... olha, estou amuado!

antonio disse...

Lindo, o inglês será seguramente a partir de agora e para ti uma língua estrangeira. Não sabia que te tinha conhecido no jardim de infância, desde essa altura que todas as mulheres me falam em estrangeiro…

Obrigado pelas palavras, por teres agrupado os homens de um lado e elas do outro, bem no fim, último esforço antes de se conseguir fechar a mala…

E agradeço-te no dia em que travestida de americano, me apareceste no meu blog. Fiquei excitadíssimo: a internacionalização e logo nas terras do tio Sam! Como nós os homens nos deixamos iludir tão facilmente!

Bom Ano 2008!

indomável disse...

Dear Blonde, o "Agent provocateur" stroke again...
Por mim agradeço a participação. O teu é um blog que acompanho avidamente, volto cá sempre só para me sentir acompanhada, por vezes. Para me inspirar muitas vezes e para desabafar, a maior parte das vezes...

Para 2008 estou a pedir muita inspiração, muita capacidade de finalização, porque houve alguém que me acusou de nunca acabar o que começo.
Para ti desejo um ano formidável, com tudo o que vás desejando ao longo dos dias. Eu vou voltando e bebendo as tuas palavras com sofreguidão.

António de Almeida disse...

-Pela parte que me toca, fico meio sem palavras, mas permita-me desejar-lhe, "a very happy 2008"!

quintarantino disse...

Já recomposto do choque... obrigado!
You know why...

Anónimo disse...

Miss Vader deseja Feliz Ano Novo. Obrigado pelo apoio.

Afterall, we speak and write english or not?

Miss Vader disse...

Não sei porquê mas o meu comentário saiu como anónimo. E eu não sou nenhuma anónima. Beijinho.

Tiago R Cardoso disse...

Eu vinha numa de Feliz Ano Novo e li e voltei a ler o texto.

Um dia destes conversava com um grande amigo nosso e dizia-lhe, tou lixado, eu um simples trabalhador inculto a escrever num blogue juntamente com tão grandes "escritores", vou ter de trabalhar o dobro.

Afinal estava enganado, tenho de trabalhar o triplo.

Simplesmente te deixo um Feliz Ano Novo.

Tiago

bluegift disse...

Olha rapariga, surpreendeste toda a gente! Aposto que ninguém nesta altura estava à espera de um artigo assim, tão, tão... "grande pedaço de ti"! E, ainda por cima, não só és bonita por dentro como por fora, tudo a condizer ;)

Não sei, fiquei emocionada com tudo isto, não sei o que dizer.
Bem dito o dia em que os teus pais resolveram fazer ninho neste país, foi uma benção para todos nós. :)

Desejo-te, mais uma vez, um Grande 2008! E que possamos continuar a contar com este teu cocktail único de emoções, nesta visão incisíva e apaixonante do nosso País e do Mundo.

bluegift disse...

Só para acrescentar que vocês os 6 foram a minha descoberta bloguista mais agradável de 2007: Tu mais o Charles Quint, o Tiago, a Silêncio, a Miss Vader e a Carol.

Carol disse...

Blondie, minha linda ( e que linda que és, mesmo desfocada!), este post deixou-me, tal como ao Quin, «speachless», «in shock»...
Nunca esperei vir aqui, ou a qualquer outro blogue, e encontrar umas linhas sobre mim, sobre o que escrevo de uma forma tão elogiosa... E, ainda por cima, isso aconteceu AQUI, no TEU blogue!! O blogue de alguém que descobri graças ao Quin (que conheço muito bem e que é tudo o que dizes e muito mais); alguém para quem olho com imensa admiração pela sua sapiência, pela capacidade lúcida e clarividente da sua escrita; alguém que eu imaginava quase magnífica na sua desenvoltura, na sua sensualidade, na sua inteligência... Alguém que não cessa de me espantar e maravilhar; alguém com quem me identifico muito nos pontos de vista que apresenta...
Gooood! E saber que tu gostas do que escrevo!! Que elogio, que voto de confiança, que motivação, que início de ano fantástico!
Obrigada, Blondie, pelo que escreveste e, sobretudo, por existires! Obrigada, Quin, por me trazeres até aqui...
Beijinhos e tudo de bom, Blondie! Estou certa que o mereces.

João Castanhinha disse...

Estou imerecidamente courado, and if I may add, "Be bold, be brave, be happy!"

Be Blonde

NuNo_R disse...

Parabens pelo texto e pelo BLOG!!!

bJs

Nuno Boavida disse...

is this your oldest pic?

Joshua disse...

Desculpa, mas fiquei hipnotizado com a tua bela fuzzie foto. Mas que belo cartão de apresentação! Tudo é belo aqui, Bela!

Carol disse...

Que bel estavas
Nessa foto...
Sorriso domado,
Chapéu de señorita,
Óculos que tapavam o rosto
Mantendo-te indecifrável,
Com um ar magnífico,
Doce até...
Que bela estavas
Nessa foto...
Que bela és!

Carol disse...

Já deves ter percebido que o primeiro verso seria. »que bela estavas...»... Ainda é de manhã, Blondie... Beijinhos!

Blondewithaphd disse...

Dear all,
I usually reply individually, but given the circumstances I'm using a general aproach.
QUINN: Why should I hide the truth? You are what you are to me so I'm the one to be grateful. Now don't go sulking on me, ok?
ANTONIO: It takes more than a post in Portuguese to make me adopt the language. Always the ironic in you... ("le sel de la terre").
INDOMÁVEL: Gee, girl thank you me for your comment! And don't worry about "des agents provocateurs", go on with your business because you're doing great!
ANTONIO DE ALMEIDA: No need to be left without words. (Specially not you that are so prolific in them!)
MISS VADER: Of course you're not anonymous dear! You're the one, the only "darling Miss Vader"!
TIAGO: A ti vai em Português que é para eu poder ser mais brutinha (o Inglês é uma língua muito educadinha). Que é isso de "trabalhador inculto"? Se mais alguma vez me entras no blogue com um disparate desses nem sei!!!! E olha que uma loira furiosa é obra!!! I said I love your simplicity, keep it that way and don't lose it in this complicated world, ok?
BLUE: I still remember when you first came here... I'm the one that should be saying those things to you. And I much prefer to see your image than that of the little girl with the pen; You're "encantadora!"
CAROL: I wish I was everything you say I am! I am imperfect, full of insecurities and questions. I like your youth and spirit (ok, and I confess I wish I could write about the sea the way you do!)
JOÃO CASTANHINHA: You blushed? Well, for your information I blushed too with that Anita thing!!!!! We always need a Jedi with us!
NUNO_R: I told you in your blog you were one of my first discoveries in blogworld. Thanks for what you say, I keep liking my discovery of you!!!
NUNO BOAVIDA: May I ask why the question? That is actually a very recent picture.
JOSHUA: Man... I'm blushing here...

antonio disse...

Dear Blonde it’s not the writing, but the soul! The way you sent the girls to the end, the way you mistreat them, that’s what reveals in you a most of all portuguese soul…

Love you even more for that!

quintarantino disse...

Funny... I thought António was going another direction with that speech of him ... but, wait... nope... impossible ... can´t say it ...
By the way, my very, very adorable friend, I was so confused that I didn´t even wish you all the best!!!
Or did I?
Who knows?
Just the two of us...

Carol disse...

Don´t you dare loosing your words!
I´m glad you liked it.
A huge kiss, Blondie!

alf disse...

Vim aqui espreitar o que andavas a pensar (não venho cá muito, confesso, o meu campo de interesses é diferente) e dou com uma coisa destas!

Isto já me interessa é claro, porque eu ando de lanterna na mão à procura do Humano! E encontro aqui um vislumbre de um, genuino, em pêlo!

Fiquei fascinado com o teu português. Cá para mim, muito melhor que o teu inglês! Muito mais suave,sensível... humano...

(não estou a ser bairrista, gostei mesmo da maneira como escreveste; se duvidas, experimenta escrever isto em inglês e vê como te sai; possivelmente estarás habituada a usar o inglês profissionalmente e isso retira-lhe o toque intimo que conseguiste com o português... será?)

Tiago R Cardoso disse...

Ia a passar e reparei que fui "ameaçado" por um Amiga loura furiosa, prometo que me contenho com a do "trabalhador inculto", é que para quem está à nove meses lesionado, de trabalhador já tenho poucas parecenças.

Obrigado Blond.

Nuno Boavida disse...

well Mrs PhD, I wondered whether you were or you are beautiful...
:)