2 de junho de 2009

Bancos e dinheiros

Estou irritadíssima, indignada, a espumar raiva (ok, hoje é dia de ter cá jardineiro e isso não ajuda muito à boa-disposição). Mas caramba, eu devo ser burra todos os dias da minha vida! Não percebo nada de finanças, economia, crises e todas as coisas que implicam capital, mas será que alguém me explica por que carga de água torrencial a CGD injecta, aplica ou o raio que a parta 2,55 mil milhões de euros no BPN? Alguém terá uma noção do que é essa quantidade faraónica de euros? Pasmo só de pensar que, afinal, este país tem dinheiro a rodos. Daí, claro, o governo pensar nas possibilidades de aeroportos e TGVs para cá e para lá.
Sim, eu que gozo com a minha lourice e até chamo ao blog a Loura doutorada, tenho de admitir que sou mesmo burra, sem gozos, sem ironias. Burra, ponto final.

9 comentários:

Canseiroso disse...

Eu acho que sei porquê.
Acho que é porque 49% dos accionistas da CGD não se importam e os 51% do Estado também não.
Só tenho aqui um pequeno problema: É que não sei a quem pertencem os 49% da CGD. Serão membros fossilizados da maioria silenciosa que fez a revolução de Abril, ou a minoria silenciosa fossilizada que espera que os ténues efeitos da mesma terminem?
.

DANTE disse...

TOu só a contar os euros e já te respondo ok?

37...38...39...40... ;D

Beijo :)

Eu Mesma! disse...

Ai....
é que se tu és loura eu sou albina....

é que eu não percebo nem essa do tgv nem a historia de mais uma ponte!

bendito seja o tejo e as suas maravilhosas 50 mil pontes! :)

antonio - o implume disse...

A menina usa avental? Talvez aí percebesse a lógica de tudo isso!

indomável disse...

Minha loiraça jeitosa,

olha eu, como diz um amigo muito chegado e que até tem um blog muito interessante chamado outra margem e uma carequinha charmosa por demais, tenho uma teoria...
É a seguinte: o país não tem dinheiro, é verdade, não tem, mas também não interessa nada a um país ter dinheiro, porque se tiver não pode pedir apoio financeiro à União europeia, não é? se nós mostrarmos ter dinheiro, como é que podemos chorar os subsidios? Como é que podemos dizer aos nossos parceiros europeus que não há maneira de contribuirmos para o orçamento comunitário? Como é que podemos chorar, pedinchar e espernear por mais euritos aqui para o burgo?
Então, há que gastar, gastar, gastar até estarmos na verdadeira penúria...

Aliás, se vires bem, é como os critérios do Rendimento de Inserção, se fores miserável e não mostrares qualquer tipo de património ou se gritares muito, mas mesmo muito, dão-te o dinheiro, no questions asked!

E assim se faz a economia!

mdsol disse...

Q. Blondinha

Eu sou morena, rsrsr. Quanto ao resto...também
Mal esta dança começou eu e a minha amiga M. que, tal como tu, percebemos imenso de finanças, só nos perguntávamos: Mas não estava tudo em crise, sem dinheiro? De onde aparecem tantos milhões assim de repente? E sim, estas coisas de economia e finanças devem ser coisas de espíritos superiores, etéreos arrisco eu a dizer. Mas nem com todas as sapiências e prémios Nobel e tudo, evitam crises, buracos e tal...Conhecimento mais precário.
beijinho

;))

António de Almeida disse...

O governo decidiu nacionalizar por razões ideológicas, querendo mostrar serviço, por alegado perigo de risco sistémico, Vitalício Constâncio mais uma vez prestou um favor político, justificando o injustificável, depois quando perceberam a dimensão do buraco era tarde, agora não podem reconhecer o erro. Pior, quando comparamos BPN e BPP, temos 2 pesos e duas medidas...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu -que até não sou loiro- também prefiro não perceber e fazer figura de parvo,para não me irritar muito, porque a idade não perdoa...
Subscrevo a mdsol: Atão não havia guito para nada e agora que os pobrezitos dos banqueiros estouraram com o dinheiro dos depositantes ( parece que nem o Cavaco escapou) já há dinheiro a rodos?
Sabe o que me parece? Oxalá me engane, mas tenho a impressão que foram à conta da Segurança Social...

Ferreira-Pinto disse...

... ora, ora ... isto já se viu aqui de tudo, opções ideológicas, favores ao Constâncio, ir á conta da Segurança Social, repartição de capital mal feita ... isto está mais que visto que foi apenas por causa das sacrossantas idas a Belém ... o Cavaco a gemer que estava a perder dinheiro e que tinha lá uns amigos entalados, o Sócrates a pensar "duma penada só, mato dois coelhos. Faço aqui o frete ao gajo e meto lá malta PS para saber se arranjo lenha para queimar os gajos do PSD" ... a conta? ah, como? a conta? ora, quando isso for para pagar já nenhum dos dois cá andará!
E assim foi. Juro-vos.