15 de agosto de 2009

Carta da Mãe


Há onze, onze anos que o mundo vive no silêncio da Mãe. Ela mora nos nossos corações e pensamentos. Está sempre cá em todos e cada instante como ausência densamente sentida, como presença implícita. Mas ontem, o mundo deu acordo da Mãe.
Ontem recebi uma carta enderaçada à Mãe. Endereçada e selada com carimbo de 11 de Agosto de 2009. Abri a caixa do correio e fiquei retida em mim com a carta para a Mãe na mão. Eu sou, hoje, a dona da casa da Mãe, eu sou, hoje, a Exma. Sra. que mora na casa da Mãe. Não quero abrir o envelope. Não quero saber do que trata. A Mãe recebeu uma carta onze anos depois de morrer e sou eu que a recebo. A carta não é para a Mãe. A carta é para mim.

- Mãe, tenho uma carta para ti que chegou para mim.

8 comentários:

Zana disse...

...É tão bom receber cartas! Cartas a sério, que contam dos outros que se lembram muito de nós.Sim, porque hoje em dia é preciso LEMBRAR_SE MUITO mesmo para as escrever.
...E mesmo que nunca sejam entregues, fazem tão bem a quem as escreve...

Zana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Santos disse...

Muito doloroso de ler...

Eu Mesma! disse...

talvez....
seja uma carta doce... de alguem que passados muitos anos se lembrou dela....

DANTE disse...

Devias lê-la sabes?

Abraço Loira :)

Chinook disse...

O ler pode trazer algo importante para ti.

Por difícil que seja abre e vê.

:) um sorriso para ti.

lusitano disse...

Ó caríssima ainda recebo cartas para o pai e já lá vão trinta anos...

Compreendo muito bem!

Abraço

mdsol disse...

Blondinha
Só me resta mandar-te um beijinho redondo como arredondadas vão ficando as saudades.
:))