29 de outubro de 2009

A Face Oculta

Dizem que a Justiça é cega. Em Portugal, eu acho que é, pelo menos, zarolha.

Desculpem-me a incredulidade, mas porque é que se abrem ditos cujos mega-processos neste país? Eu só consigo imaginar o azar desgraçado do Madoff não ter dado cabo da economia mundial a partir de um quartel-general localizado em Portugal.

6 comentários:

João António disse...

Olhe lá, não lhe parece que tantos euros devem ser distribuídos pelos advogados e tribunais? Claro que ainda vão sobrar muitos.

Goldfish disse...

Zarolha, só? Eu cá acho que devia ser feito um case study à justiça portuguesa (que, cá para mim, já nem merece o j maiúsculo), por ser um caso raro de estrabismo, míopia, astigmatismo, vista cansada (não sei de quê, mas enfim), cataratas, tensão ocular e mais algumas doenças da vista que não fazem parte do meu léxico de leiga! Não há uma pontinha por onde se lhe pegue...

antonio - o implume disse...

Puro exibicionismo da judiciária...

António de Almeida disse...

O problema é da PJ que teima em realizar escutas telefónicas. Sem este processo não existia sequer crime, felizmente que temos Tribunais para reporem a normalidade, deixando prescrever ou arquivando processos...

Zana disse...

Só falo de "justiça" , da justiça humana em geral, pois não estou a par de nenhum caso em particular, nem mesmo dos que aparecem nos telejornais.
Quanto à justiça humana, sim é imperfeita e tão cega, que às vezes são mesmo os inocentes a levar a paulada!
Enfim, limites próprios da nossa condição...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Hoje, de regresso a Portugal, quando lia as notícias tive exactamente o mesmo pensamento. Depois, pensei melhor e ocorreu-me outra ideia.Que tal pedir aos americanos que nos emprestem a polícia deles durante um ano, para fazer umas limpezas cá pela terrinha?