12 de janeiro de 2011

O estado do Estado

O DN anda a publicar uma série sobre o estado a que chegou o nosso Estado. É leitura deprimente mas muito elucidativa.
Aqui.

9 comentários:

Pedro disse...

a propósito de elucidativo...

combustível
em tempo de crise as gasolineiras tiveram lucros recordes
à custa de subidas de preços permanentes;
posso fazer-me bem à bolsa e fazer alguma diferença:

eu não compro GALP nem BP
e você?

passa a causa :)

Ältere Leute disse...

Elucidativa sim; desmobilizante para quem faz essas coisas, e para quem vota neles (todos!)... não sei!

Nota: estamos a guardar essas páginas para memória futura, se possível "memória-futura-próxima".

Salvador disse...

Bom dia, Blonde ))

É, na minha opinião, o melhor trabalho jornalistico dos últimos anos. Está lá o porquê de termos chegado ao ponto a que chegamos.

António de Almeida disse...

Tenho lido referências elogiosas, mas ainda não consultei esse trabalho, na realidade tenho prestado pouca atenção ao DN, apesar de possuir alguns bons jornalistas nos seus quadros, desde que passou a ser dirigido por um moço de fretes às ordens de Kim Il Sócrates...

zana dias disse...

Se é deprimente não leias logo de manhã com o teu café. Lê mais tarde para teres umas horinhas de boa disposição!

Daniel Santos disse...

para depressão já me chega a minha.

antonio - o implume disse...

Tudo mentira. São as forças de bloqueio... a sério.

A.B. disse...

A referida página não está online. Talvez pelo melhor. Na página principal está um bem-humorado comentário de Paul Krugman acerca do "sucesso" da colocação de dívida de ontem, onde sublinha o óbvio - mais uns sucessos destes e a periferia europeia será destruída.
Causa-me grande preocupação que, quer a subida do PSI20, quer as declarações ministeriais, mostrem agentes políticos e económicos tão contentes, coitadinhos, por termos conseguido chegar ao fim do dia a dever mais uns milhões.
Por outro lado, já me causa profunda iritação que, mesmo considerando possíveis estratégias, o nosso douto ministro das finanças ande a vender dívida em privado e a manter montantes e compradores em segredo. Nós não precisamos de saber, apenas de pagar?
Perdoe o desabafo, Blonde, mas há dias assim.

Olá Amor disse...

Infelizmente é este o estado da nação a que ainda chamam Portugal!! Sim, é deprimente ler, mas obrigatório para que muita gente abra os olhos. Devia ser inclusivé de estudo obrigatório nas escolas e universidades deste país. Ainda estamos a tempo de mudar, mas para isso temos de começar já! Aliás, já ontem era tarde!!