23 de março de 2011

Caiu

Acho que, no fundo e apesar de ser um animal político de comprovada resiliência, o PM se deve sentir aliviado por ir colocar nas mãos de outros a crise, a bancarrota, o FMI, o descrédito do país e o calvário que serão os próximos anos.
Nunca gostei de discursos de vitimação. Nunca gostei de água sacudida do capote. Tudo isso me parece cobarde e mesquinho. Sai. Que saia. Nada será nem melhor nem pior. Tenho pena pelo país mas, ao fim e ao cabo, Portugal sempre foi um país de sofrimentos, pobreza, atraso cultural, económico, tecnológico e social. Os nossos anos áureos passaram há cinco séculos. Vivemos de glórias passadistas e temos sobrevivido. Sobreviveremos agora também. Pode ser que finalmente comecemos a olhar para o futuro, a deixarmo-nos de acomodações, saudosismos nostálgicos e letargias.
Caiamos então porque do chão só há um caminho: para cima.

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Vamos lá a ver se não será apenas uma saída temporária. Ele é mestre na arte da vitimização. E amanhã começa a caça ao coelho...

A.B. disse...

Essa de, do chão, só haver um caminho - para cima - não toma em consideração a quantidade de idiotas que sabem manejar uma pá.

António de Almeida disse...

Esperemos que seja derrotado pelos portugueses nas urnas...

Filoxera disse...

Gosto da conclusão.
Beijos.