27 de maio de 2011

Votar no Mickey

Recebi, como acho que toda a gente recebeu, a cartinha do MAI/DGAI com as informações de como proceder para saber onde votar e qual o número de eleitor. Li na diagonal, como leio todas as cartinhas deste tipo. Ia hoje para enviar o tal SMS para saber do meu número quando leio melhor a cartinha que diz, a frases tantas, que se "ainda" tivermos o antigo cartão de eleitor não precisamos fazer nada.

Pergunta idiota:
Então porque é que andaram a alardear que o cartão de cidadão substituía o de eleitor?
Outra pergunta perfeitamente idiota:
Quanto é que se gastou em cartinhas para resolver a "insolução" do cartão de cidadão/eleitor?

No resto, triste campanha esta em que não há ideias, só ruído de comadres e ideias peregrinas de rever leis já referendadas, como se essas fossem realmente importantes numa época como esta em que nada nos assegura que não vamos ter uma tragédia grega à porta. Onde está a Esquerda? Onde anda a Direita? O que é o Centro? Mickey à Presidência!

5 comentários:

zana dias disse...

O Mickey ou então José Manuel Coelho!

antonio - o implume disse...

Eu voto no José Manuel Coelho, o Mickey português!

Não me consegui despachar a tempo de aparecer, espero que tenha corrido tudo bem. Foi mesmo um galo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu cá voto no Poppey dos espinafres. Pelo menos deve ter força para para expulsar o FMI
Bom fds

António de Almeida disse...

Tenho que ver essa carta, porque desta vez em princípio devo ir votar, estou farto de ser governado por um personagem de banda desenhada, antes fosse o Mickey, mas é um híbrido que mistura algo de Pinóquio e Calimero, mas sem a inocência desses cartoons, na realidade um verdadeiro chico-esperto tuga, da pior espécie, a fazer lembrar os antigos vendedores ambulantes que anunciavam nas feiras a banha da cobra...

George Sand disse...

Quem mandou deitar o cartão fora e acreditar piamente na "canção do bandido"? Havia um personagem girissimo na altura das bandas desenhadas que tinha uma frase muito boa. Chamava-se Zé Carioca e dizia sempre : "oho vivo e pé ligeiro".

Nesta altura do campeonato se calhar era melhor votar no tio patinhas.