9 de março de 2009

Crepes Blonde



Domingo, seis da tarde. Acabo de enviar um capítulo de um livro ao editor em Nancy (de França), tenho o resto de outro livro para rever mas não me apetece nada, mas mesmo nada. Tenho uma dor de costas lastimável das horas ao computador. O meu humor não está dos melhores porque num dia maravilhoso de sol eu só desci do escritório ao jardim para beber um capuccino uns escassos minutos. Que vida, Cristo!

Apetece-me crepes! Que raio de apetite! Eu não ligo a crepes. Eu não sei fazer crepes. Diabo, eu fujo de hidratos de carbono como o dito da Cruz! Acho que a culpa é da Tina que achou por bem aqui há dias desatar a enviar-me sms provocadores sobre uns crepes de camarão que ela fez (raios a partam e mais aqueles dotes culinários!). E não é que continua a apetecer-me crepes?

Lembro-me que a Mãe fazia uns deliciosos. Mas isso era a Mãe e isso já foi há muito, muito tempo.

Pego num livro de receitas. Ingredientes: leite (homessa, eu não bebo leite), manteiga (manteiga?!, eu lá tenho manteiga?), açucar (outra!, e uma Blonde lá usa açucar porventura?). Desisto do livro. Meto-me na despensa e decido inventar.

Crepes Blonde

Para a massa:

1 pacote de natas (o mais parecido com leite que havia)

Umas quantas colheres de açucar Demerara (vá lá, afinal havia açucar)

Farinha de trigo a olho

Maizena a olho (só porque a Mãe misturava Maizena em tudo)

Um cálice de Vinho do Porto (acho que a Mãe fazia os crepes com Vinho do Porto)

Uma pitada de sal fino

Uma colherzinha de fermento em pó

1 ovo (se não fosse a P trazer-me ovos não havia crepes para ninguém)

1 fio de azeite (de Creta que também era o que havia)

Para o recheio:

Passas sultanas

Nozes

Maple syrup canadiano (isto é exactamente o quê em Português?)

Geleia de marmelo (a P apanhou os marmelos aqui do jardim e sem ela também não havia geleia nem marmelada)

Preparação: Bater o ovo com as natas, o Vinho do Porto e o azeite. Juntar a farinho de trigo, a Maizena, o sal, o fermento e o açucar. Misturar bem. Colocar uma frigideira anti-aderente ao lume com um pouco de azeite. Frigir o preparado em forma de crepes (é melhor nem dizer o formato que adquiriram os Crepes Blonde mas serão sempre uma inovação culinária!).

Entretanto, amolecer a geleia em banho-maria. Depois (agora vem a obra-prima, atenção) colocar um crepe e barrar com geleia, sobrepor outro crepe e barrar com maple syrup e assim sucessivamente até se acabarem os crepes. No fim, decorar com sultanas e nozes.

Eu acompanhei com café e comi de faca e garfo comme il faut! Ficaram deliciosos (um pouquinho enjoativos de tanto maple syrup, mas nada que não se corrija em próximas edições).

Damn I'm good!!!!

13 comentários:

Tina disse...

ò loira, uma pequena correcção,
não eram crepes de camarão mas sim tarte de camarão (não me posso esquecer de para a próxima mudar alguns ingredientes)
E...ò amiguita, crepes também não faço, não há pachorra para tanto.
Em vez de sujar meia cozinha, vou a um supermercado, à secção de congelados, e depois è só um munito no micro-ondas e outro de imaginação para o decorar!...

Blondewithaphd disse...

Ó Tina miserável, tu queres que te mostre o sms? Hein?! E o qu eera a outra coisa com morangos e natas, também não eram crepes, queres ver?!

Tina disse...

na senhora
era uma tarte de leite condensado coberta de morangos...

Blondewithaphd disse...

Desculpas!!! Agora que eu descobri que me usas crepes já feitos! Assim também eu, homessa!!

mdsol disse...

Amanhã vou fazer crepes
rsrsrsr
[Sabe a Bondinha o que isto significa? Que escreveu com tanta "perícia" que me pos a salivar...]
:)))


Ah! A tarte de leite condensado eu também faço (no micro-ondas). rsrs

Blondewithaphd disse...

mdsolinha,
Pois eu nem sabia que se compravam crepes feitos, lá imagino que existam tartes para microondas? Vocês poupem-me que começo a achar-me um génio da cozinha!:)

Alexandre disse...

tss, tss.... learn:

250 g de farinha
4 ovos
pitada de sal
colher de sopa de óleo

mexe-se tudo bem mexido e incorpora-se, AOS POUCOS, meio litro de leite.

et voilá, des crépes! :)

Blondewithaphd disse...

Alex,
É pá esses crepes metem muita caloria e muito ingrediente exótico: leite, óleo (óleo?!)!:) Hmm, e se eu experimentar com leite de côco, desse há cá em casa:)

António de Almeida disse...

Dotes culinários é melhor nem falar, assados no forno ou grelhados ainda vá, de resto sou um desastre.

Ferreira-Pinto disse...

Olha-me esta ... um tipo distrai-se, passa o fim-de-semana sem abancar frente ao computador, ontem trabuca e vem aqui hoje e leva com isto?

Mas que raio ... eu até hesitei ao princípio! Pensei que tinha ido parar à ELLE, à VOGUE, eu sei lá ... e afinal, aqui a amiga faz crépes ... raio, e ainda por cima, está na hora do meu almoço ... ó diabo de rapariga no que tu te metes ...

Olha lá, não queres ir pensando num projecto gastronómico? Sei lá, assim por assim, como há um El Bulli (acho que é assim) ou um Fat Duck, abria-se um "BlondewithapHd - exotic kitchen" e via-se no que a coisa dava!

Joaninha disse...

Creeeeeepes...mmmmmm...

Que boooommm!!!

beijos

indomável disse...

Ai pá, que raiva!

Eu estava a tentar evitar o açúcar durante a semana!
Esta não te perdoo... ou se calhar, vá lá, está bem... mas ainda assim vou mesmo ter de fazer os crepes ao chegar a casa... maldita sugestão!

Blondewithaphd disse...

António,
Certas Blondes não se ficam atrás:)

Quinn,
Pois meu amigo, projectos gastronómicos aqui com a Blonde só mesmo qualquer cosa do estilo:
post-nouvelle cuisine:)

Jo,
Olha que os meus não ficaram nada mal!!! (Gaba-te cesta...)

Indy,
Tu não me diga sque os meus crepes te dão apetites!!!! Olha que ainda me ponho a pensar que sou a nova Delia Smith:)