26 de abril de 2009

Amazing Grace

Amazing the way we build our lives. Amazing the people we let in and out. And we are the sum of those encounters that we write in chapters, some long, others consisting of only a few paragraphs. But, still, they are there, they all mean something because everybody that crosses our path means something: we just, most often, don't know what exactly.

And then, what is also amazing, is that we have the tremendous ability to write simultaneous chapters in our lives. That is fascinating, when happiness and sadness coexist and we learn from both. Amazing how we can be happy and sad in equal measure in the same moment in time.

The Present itself is an amazing instance trapping us between the Past that we know and the Future we imagine or anticipate or even fear. I used to like looking back at the Past, I don't anymore. No matter how happy I was at any given moment in the Past, I simply don't want to go through the, in my mind always painful, process of revisiting what is no longer. It's like cutting an umbilical chord: it hurts, either because it was too good and it doesn't exist anymore, we lost it, or because it was bitter and revising it causes anguish and pain.

I'm looking forward for the Future, the near Future, the immediate next weeks. In a way, in a very ironic way, the way so peculiar Life has of teaching us, I'll be somehow reliving things of my immediate Past. So ironic! Yet, different circumstances, different people, will necessarily lead to a different chapter, not a rewriting of an old, almost closed, chapter. Maybe the lines that will be written can overcome the ones already written, I don't know. Maybe...

I'll be a foreigner again. The one I've always been, here and in the country I was born. I'll be mixing with them, the foreigners, and be one of them. I'll lose my language and sense of place and I'll be happy (God, so many reasons to be happy!). The endless possibilities the Future holds, the joy of blank pages waiting to be written. I like blank pages. I live my life filling blank pages with words. I like words, I like beautiful sentences, I like punctuation marks and deciding whether to use a colon or a comma. What chapter am I writing now? What will I write in it? How will I fill its pages? This is the anticipation, the amazing anticipation before the Unknown, the yet unlived.

Surpreendente também que uns fiquem nas mesmas páginas, reescrevendo parágrafos e capítulos em circunvoluções e que outros virem páginas e acrescentem a Novidade da Vida. Que entediante seria se a Vida não fosse escrita mas reescrita... e reescrita outra vez... e outra...

14 comentários:

Eu Mesma! disse...

sim....
é uma visão diferente da vida...

eu confesso que amei esta parte... Amazing how we can be happy and sad in equal measure in the same moment in time.

é que... realmente é mesmo verdade...

Abobrinha disse...

Linda

Nunca serás estrangeira neste país, porque este país não tem estrangeiros: tem só pessoas que são benvindas! Tenham ou não nascido aqui, falem ou não a nossa língua.

De resto identifiquei-me com o que disseste. És uma mulher de recomeços, como eu sou. Não sou de páginas em branco, mas mais como um computador. Um computador que não é uma máquina de escrever, mas de apagar o que está a mais ou podia ser escrito de uma maneira melhor. E sempre, sempre acrescentado, em textos longos e felizes.

Benvinda à renovação! E à capacidade de estar feliz e triste ao mesmo tempo. E mesmo assim conseguir distinguir a felicidade em vez de sucumbir à tristeza.

antonio - o implume disse...

Não olhamos o futuro com o cinismo do passado?

António de Almeida disse...

Vamos começar uma nova etapa, é isso? Estrangeira não, uma cidadã do mundo poderá não pertencer a um só lugar, mas em compensação também não será uma estranha onde quer que se encontre.

Joaninha disse...

Pessoas que não mudam de pagina são aborrecidas...Eu não gosto de pessoas aborrecidas...Tu, claramente, ão és nada disso :)

beijos

Tina disse...

Das páginas passadas às futuras, que olhes a vida sempre como um dom.
um beijo
e bom es... (you know)

Blondewithaphd disse...

Tu Mesma!
Achas, então que podemos ser felizes e infelizes ao mesmo tempo? Pois amiga, já somos duas!

Pumpkin,
Sucumbir à tristeza é que não (nem sempre é fácil), mas o caminho não pode ser só de tristezas. Lá quanto ao ser estrangeira aqui... é a vida, fazer o quê?

Implume,
Eu ainda não me considero uma pessoa cínica, mas olhar o futuro com o cinismo do passado? Profundo, man, mas não sei se cheguei lá ao raciocínio.

António,
Recomeçar SEMPRE! E cidadã do mundo igualmente:)

Jo,
Bem, se eu sou aborrecida ou não só os outros podem dizer. Eu quero crer que não:)

Tina,
Só tu para me fazeres dar a sonora gargalhada que acabo de dar:) I love you, you know?

Carol disse...

Como é possível sermos felizes e infelizes ao mesmo tempo? Nós, humanos, somos mesmo um bicho complicado... Mas compreendo-te perfeitamente, pois sinto isso em inúmeros momentos da minha vida.

antonio - o implume disse...

Continuemos a evoluir... ;)

Alexandre disse...

momento paulo coelho: "yesterday is history, tomorrow is a mystery and today is a gift - that is why it is called present."

Blondewithaphd disse...

Carol,
E nós as Blondes ainda mais complicadas somos:)

Implume,
Evoluamos, entonces.

Alex,
Man, that was deep! Ui, que deep! :)

Joaninha disse...

Claramente não és aborrecida minha cara Blonde :)

beijos linda

Ferreira-Pinto disse...

Caramba, mas afinal se evoluímos para quê toda esta metafísica?

PancerBali disse...

It’s so nice site. We love to see more on this site. Keep on updating… MonkAreRee Bali ***rltjgiotrh