4 de junho de 2009

As emoções são como as cerejas


Hoje decido que sou feliz. Não é que não o seja, mas esqueço-me muitas vezes, muitos dias, perdida nas responsabilidades, rotinas e inquietações do quotidiano. Hoje lembram-me, a Vida lembra-me, que sou feliz na minha vida.
Assino o último sumário do semestre numa das minhas turmas, despeço-me dos alunos e ameaço-os com o típico: "Don't even dare failing this subject!" Rodeiam-me, não me deixam arrumar as coisas, a funcionária do bloco entra com a ficha das presenças e nem me vê, ou eu a ela. Depois da comoção diz que ficou arrepiada - nem lhe digo que eu fiquei ainda mais: "Gaita, posso não fazer nada de jeito, mas isto, isto faço bem!", penso enquanto a turba irrequieta que está prestes a acabar o seu primeiro ano na universidade sai da sala acenando-me e mandando-me beijinhos pelo ar. Gosto imenso de dar aulas...
O telemóvel toca:
- Doutora, pode vir ao meu gabinete? - É o meu advogado. Penso nos processos pendentes de um divórcio litigioso apanhado na nova lei (juro que vou comprar uma página de jornal e atirar aos legisladores a embrulhada da nova lei, garantidamente!). Antecipo o que se antecipa quando um advogado nos telefona.
Nada disso! Quer dar-me cerejas! Toneladas delas! Disse-lhe um dia que gostava de cerejas, já nem sei a que propósito. Leva-me ao carro dele e na bagageira um enorme cesto de cerejas, lindas, ainda com as folhas verdes agarradas. Estou tão sem palavras que nem sei as coisas que lhe digo em agradecimento. Estes gestos não se agradecem. Ele não sabe que eu sei, mas eu sei que ele falou com colegas minhas e lhes pediu que olhassem por mim. E isto, isto lá se pode agradecer? Aqui está este homem outonal, farto de publicar sobre Direito da Família, com uma carreira de décadas e aqui vem dar-me cerejas e pedir a quem convive comigo que olhem por mim.
Chego a casa. O Senhor Luís e a mulher estão entretidos a colocar os alegretes anti-Spotty à volta dos canteiros. Dou-lhes cachos das cerejas que trago enquanto lhes pergunto como se estão a entender com os canteiros.
- Ó Dona Blonde, vamos agora dar aqui uma volta ao jardim, mas depois disto vamos ter de fazer uma revolução na garagem.
Acho uma ideia excelente porque a minha garagem é a balbúrdia no faroeste. Nunca lhes teria pedido isso porque não gosto de abusar. E depois ouço os planos que o Senhor Luís tem para o jardim: pinta-se os muros e os gradeamentos, desbasta-se a hera que cresce nas paredes, se calhar temos de mudar o tapete de relva e mais uma série de coisas. Fico quieta a ouvir e a pensar que eles os dois me querem ajudar a manter a casa porque me vêem só. Querem ajudar-me. Nos tempos em que havia uma outra presença em casa eles nunca me disseram nada, limitavam-se a fazer o que eu lhes pedia, o trivial de arranjar um jardim relativamente grande onde um cão impõe um considerável grau de destruição. Mas agora que me vêem só, dizem-me o que há a fazer e dão-me ideias. Aliás, o Senhor Luís deu uma volta a todas as fechaduras de todos os portões para garantir a minha segurança. Isto também nem se paga, nem se agradece.
Sim, só posso ser feliz, só posso estar feliz. A vida, como na letra da canção dos musicais da Broadway, é como uma taça de cerejas:
Life is just a bowl of cherries.
Don't take it serious; life's so mysterious.
You work, you save, you worry so,
But you can't take your dough when you go, go, go.
So keep repeating it's the berries,
The strongest oak must fall,
The sweet things in life, to you were just loaned
So how can you lose what you've never owned?
Life is just a bowl of cherries,
So live and laugh at it all.
E eu hoje recebi cerejas...

19 comentários:

Ferreira-Pinto disse...

Siga ... mudança e a todo o vapor!
Cerejas são demais, logo a vida também tem de ser.

Ferreira-Pinto disse...

Espera aí ... o teu advogado, o teu advogado deu-te cerejas?
Estás tramada ... o cavalheiro já decidiu que estás disposta a gastar até ao último cêntimo.

O teu advogado?
O advogado?

Blondewithaphd disse...

????? Quinn???? O que estás tu a dizer, criatura? Sim, o meu advogado! Então ele dá-me cerejas e eu é que gasto até ao último cêntimo?! Hein?

Vivi disse...

Oh amiga! Gosto tantooo de ler o teu blog!!! ihihih!!!
E este post até me comoveu!!!
Beijinhooos =))

Blondewithaphd disse...

E tu, tens trabalhado no teu?:)

antonio - o implume disse...

Eu hoje decidi ser rico! Mas, não resultou...

Blondewithaphd disse...

Lol, Implume! Também gostaria de decidir isso, mas resultar:)

Eu Mesma! disse...

Bem...
essa tua decisão é fabulosa!!!!!!

DANTE disse...

Espero que as cerejas durem bastante tempo ;D

Beijo Loira kum kanudu :)

mdsol disse...

Blondinha

Estava a precisar de ler este post. Foi a tua taça de cerejas para mim. Vês, como distribuís tão bem o que te dão?
E, se me permites, o "teu" Sr. Luís, o "teu" advogado e mais pessoas que, decerto se cruzam contigo, são o que eu chamo os Anjos da vida. Impressionadas pelas descrições que na infância nos fazem dos anjinhos lá no céu e pelos anjos vistosos pintados pelo Rubens, com caracois loiros ou ruivos e muito rechonchudos, muitas vezes não os vemos nas pessoas reais que realmente cuidam de nós e nos protegem. Ainda bem que tu os vês e os valorizas.
Beijinho Blondinha!

Abobrinha disse...

Ainda bem que tomaste essa decisão. E que tens tanta gente que cuide de ti! É porque mereces, moça!

Beijinho!

P.S: Eu sei que vais ficar de caganeira um tempo com as cerejas, mas isso não é nada comparado com o prazer de as comer.

António de Almeida disse...

Um advogado aconselhou-me recentemente a não aceitar um acordo que por acaso aceitei. Os honorários teriam sido maiores se litigasse, como o percebo.

Blondewithaphd disse...

Tu mesma!,
Ui, se soubesses como sou uma mulher de decisões!!!!! Só ainda não decidi ganhar a lotaria:)

Dante,
meu, não sei se estas vão durar muito tempo, é que estão a levar um desbaste que nem te conto:)

mdsolinha,
Palavra que até me comoves com esse teu comment... Sabes, eu acho que a positividade perante a Vida atrai coisas boas, pessoas boas. Gosto de crer nisso e eu sou um espírito positivo por natureza. Tenho dias maus, claro, mas perder o optimismo NUNCA!

Abobrinha,
És danada, tu! Tinhas logo que pensar no revés das cerejas! Obrigadinhas, hein?!:)

António,
Ele há advogados e advogados. Este, por acaso, dá cerejas à constituinte!

Joaninha disse...

Essa de se assumir que o advogado só quer é sacar dinheiro é muito maldosa, os advogados são pessoas normais, eu conheço muitos, que tratam de casos muito graves e menos graves e que se preocupam muito com os seus cliente...Conheço muitos que às escondidas e sem os cliente saberem trabalham nos processos e não cobram os honorários devidos. Blonde, tens um bom advogado, um homem com principios, tens uns caseiros fantasticos e que gostam de ti, e tens amigos que cuidam de ti, a tua vida é mesmo uma bowl of cherries.

beijos ó loira Phd.

Joaninha disse...

PS. fizeste-me chorar outra vez, ai, ai, ai não pode ser :)

beijão

Isabel disse...

Jo,
Atão, pá, isto lá é para chorar? Cheer up and eat the cherries:) A Blonde quer alegria!

Ferreira-Pinto disse...

Mau, mas afinal andas "tóne" das ideias ou que carago?
Eu disse que ele (o senhor seu mandatário judicial) é que decidira partindo do pressuposto que Vossa Senhoria(a constituinte() tinha decidido gastar até ao últimno cêntimo. "Capice"?

Se não entendeste nada, estás pior do que eu pensava e andas a ficar uma sisuda do carago!
Hum, andam aqui umas caras novas :))))

Canseiroso disse...

Mais vale uma cereja na mão que duas melancias a voar.
E parabéns ao senhor Luis, por ser quem é.

Intruso disse...

gostei muito de ler isto, apesar de isto também não se agradecer...