1 de fevereiro de 2013

Quando vai um, vão os outros

Esta coisa de ter herdado a Casa dos meus pais tem destas coisas meio chatas. Em Dezembro morreu-se-me a máquina de lavar. Entregou a alma ao criador depois de mais de duas décadas de abnegado serviço. Agora o frigorífico decidiu que me havia de congelar o queijo e os bróculos e ontem lá fui comprar um substituto (que deve estar a entrar pela porta adentro não tarda nada).
Senhor dos electrodomésticos, tende piedade, que carteiras de Blonde não vão lá nem com duodécimos, ok?

2 comentários:

Francisco Nobre disse...

E espera pelos próximos...

É mesmo uma desgraça

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A minha experiência é que qdo um electrodoméstico avaria, os outros avariam a seguir. Deve ser solidariedade eléctrica...
Bom fds