7 de abril de 2018

"A" Água de Colónia

Colónia é a pátria de muitas originalidades: "a" catedral, "a" água-de-colónia. Sim, por alguma razão chamamos "de colónia" à água perfumada. É de Colónia porque é e porque vem de Colónia. Tudo o resto são derivados.
A água-de-colónia original tem um nome numérico, 4711. Esta é a original, a verdadeira, a que a Mãe usava, a que me perfumou a infância. Tem um cheiro fresco a limão, um cheiro simples e esse aroma, ligeiramente adstringente, é suficiente para me acordar memórias e evocações. Se um perfume falasse, o que este não diria?
Então e porque é que se chama 4711? Ocorre que, quando Colónia foi, tal como Portugal, invadida pelos exércitos napoleónicos, a loja onde se produzia a água perfumada ficou com o número que lhe deram as forças ocupantes ao reformularem a numeração das ruas. 4711 foi o número que calhou em sortes àquela porta e assim o nome ficou. Pelos vistos, os franceses acharam mais linear numerar todas as casas de 1 até ao que fosse ao invés de darem números por rua.
Vir aqui e não levar um frasquinho da água-de-colónia genuína é um quase-crime. Por mim, levo um abastecimento para mim e para oferecer a familiares e amigos. Noto que, no entrementes desde a minha última vinda aqui, a 4711 criou novas linhas perfumantes e, pasme-se a coincidência, uma delas chama-se mesmo... Portugal. 

1 comentário:

Dalma disse...

Não sabia a história de serem os franceses a numerar as casas do nº 1... pelo menos até ao 4711. Esta prática, na realidade, foi contrariada pelo grande “arquiteto” de Paris, George Haussmann que introduziu com êxito a numeração alternada de “par” e “impar”!