9 de maio de 2018

Nördlingen: um meteorito e diamantes

Nördlingen é outra das imprescindíveis cidades da Estrada Romântica. Com Rothenburg e Dinkelsbühl são as únicas três que ainda têm uma muralha intacta à volta da cidadela histórica. Nördlingen, outro nome cuja sonoridade adoro, tem uma particularidade: está construída na cratera de impacto da queda de um meteorito. Quando o meteorito (que, parece, era binário) aqui se esmigalhou, algures no Mioceno, ou seja, depois dos dinossauros e antes do Australopitecus, vulgo, uma coisa recente, formaram-se rochas de impacto cravejadinhas de diamantes. Resultado, as casas em Nördlingen e a igreja estão feitas em pedra com diamantes incrustados. Pelos vistos, o meteorito colidiu com um depósito de grafite e todos nos lembramos, das aulas de Ciências, que carbono, pressão e altas temperaturas resultam em "a girl's best friends". Não deve haver muitas cidades no mundo com uma curiosidade destas no currículo.
Subindo à muralha, damos a volta ao perímetro da cidade para depois descermos e nos perdermos nas ruazinhas que levam até ao centro onde está a Igreja de São Jorge, a tal feita com pedras cheias de diamantes e quartzo, e que não percebo porque se chama "Daniel". Enfim, deve ser outra das curiosidades desta curiosa cidade.
  

Sem comentários: